Topo

Há duas semanas no Inter, Guerrero treina dobrado e procura casa para morar

Ricardo Duarte/Inter
Paolo Guerrero durante treinamento do Internacional antes de poder estrear Imagem: Ricardo Duarte/Inter
do UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

2019-02-19T04:00:00

19/02/2019 04h00

Paolo Guerrero está há duas semanas no Rio Grande do Sul. Treinando desde o dia 5 de fevereiro no Inter, o atacante peruano se divide entre dois turnos diários de atividade e a procura por uma casa ou apartamento para trazer a família. No pouco tempo de lazer que resta, o shopping tem sido companheiro. 

Morando sozinho na capital gaúcha, Guerrero ainda faz de um hotel sua residência. É lá que descansa e passa boa parte do tempo livre. Que não tem sido muito, já que a programação de treinamentos do Internacional o deixa em ritmo de pré-temporada.

Ou seja, tudo que os demais jogadores do time vermelho fizeram nos primeiros dias de janeiro, Paolo está fazendo agora. A rotina de dois turnos o faz treinar dobrado: uma das atividades com o elenco e a outra sozinho. 

Sob cuidados do preparador Cristiano Nunes, os índices alcançados pelo peruano só são motivos de elogios. Apesar dos 35 anos e de quase um ano sem jogar, ele tem mostrado que os trabalhos em sua terra natal fizeram efeito. Ainda aquém dos demais membros do grupo pelo tempo parado, ele precisa de tempo para encontrar a melhor forma. 

Do hotel ao shopping Iguatemy, na zona norte de Porto Alegre, para jantar ou passar o tempo, Guerrero ainda tem mais atribuições pessoais. Muito ligado à família, ele pretende trazer a mãe, que esteve presente em sua apresentação no Inter, para mais perto. Se não for para morar, ao menos para passar uns dias em sua companhia na cidade nova. E procura uma casa ou apartamento que o deixe mais próximo do CT do Parque Gigante para facilitar os deslocamentos. Ainda não encontrou a residência nova, que pretende alugar. 

Poucos passeios pela cidade

Se no Rio de Janeiro era acostumado a aproveitar a passeios ao ar livre, como idas à praia entre os treinamentos do Flamengo, o mesmo ainda não ocorre em Porto Alegre. Paolo pouco conhece dos parques da capital gaúcha, que não é banhada pelo mar. 

A concentração tem sido praticamente toda nas atividades de campo. Nesta terça-feira, ele poderá participar de alguns minutos do jogo-treino contra o Sindicato dos Atletas Profissionais do Rio Grande do Sul, pela manhã, no CT Parque Gigante. Pode ser a primeira vez contra um adversário vestindo as cores do Inter. 

De cara, o peruano já fez amizade com os principais líderes do grupo, e com eles pega as referências da cidade e do clube. É D'Alessandro, Danilo Fernandes, Rodrigo Dourado, Moledo e Cuesta com quem o gringo vez por outra é visto nos treinos. 

Os profissionais do Inter, de linha de frente, apoio ou seguranças, se referem ao peruano como um atleta de "alto nível", que tem noção do quanto importa para a torcida e seu país e por isso procura o quanto antes voltar a atuar profissionalmente. 

A data não passa de abril. A partir do dia 5 ele poderá voltar a desempenhar as funções de centroavante com o fim da punição imposta por doping. 

Mais Esporte