Topo

Advogados de Kokorin recorrem ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos

2019-03-26T11:44:00

26/03/2019 11h44

Moscou, 26 mar (EFE).- A defesa do atacante russo Aleksandr Kokorin, que está detido desde outubro passado, entraram com recurso no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, localizado em Estrasburgo, na França, segundo veiculou nesta terça-feira a agência de notícias "Interfax".

De acordo com a denúncia feita junto a corte continental, a prisão preventiva decretada contra o jogador é "uma violação dos direitos humanos", conforme relatou o advogado Andrei Romashov, ao veículo de comunicação russo.

No mês passado, a justiça da Rússia prolongou em mais dois meses a prisão preventiva contra Kokorin, que atua no Zenit São Petersburgo, o meia Pavel Mamaev, do Krasnodar, que se envolveram em uma briga em um bar, em Moscou, e foram acusados de agressão e vandalismo.

O advogado do atacante afirmou que, caso o Tribunal de Estrasburgo aceite o recurso, a corte poderia anular todas as decisões que contradigam a Convenção Europeia de Direitos Humanos.

A ampliação da prisão preventiva foi justificada pelas autoridades locais por ambos serem acusados de diversos crimes, entre eles, alguns classificados como graves. Além disso, a boa situação econômicas de ambos, além das relações com figuras importantes da Rússia, foram usadas como argumento.

O tribunal Presnenski, em Moscou, divulgou ontem que o julgamento de Kokorin e Mamaev será iniciado no dia 3 de abril, depois que a polícia encerrou o inquérito sobre o caso, enviando provas e elementos que comprovariam a culpa de ambos, de acordo com a promotoria local.

Os dois jogadores são acusados de agredir dois funcionários do Ministério do Interior e um motorista, durante a briga no bar em Moscou. Ambos podem ser condenados a até sete anos de prisão. EFE

Mais Esporte