Topo

Cruzeiro responde Perrella sobre pedido de afastamento: "irresponsável"

© Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Wagner Pires de Sá, presidente do Cruzeiro Imagem: © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
do UOL

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-06-15T20:33:27

15/06/2019 20h33

Wagner Pires de Sá, mandatário do Cruzeiro, recusou se afastar do cargo, alegando que o pedido se deu por interesse político e irresponsável. Ele ainda rebateu a nota oficial de Zezé Perrella, presidente do Conselho Deliberativo, publicada na manhã de hoje.

Em um comunicado divulgado no site oficial do clube, o cartola trata a solicitação de Perrella como "irresponsável" e "apelativa". Ele ainda acusa o ex-senador de agir por interesse político.

"A atual direção recebe com muita estranheza o conteúdo da nota do presidente do Conselho Deliberativo, sobretudo em razão de que a diretoria do clube tem tomado todas as providências necessárias para apurar eventuais equívocos no decorrer da administração, inclusive fornecendo toda a documentação solicitada pela sindicância interna. Portanto, o irresponsável pedido de afastamento, sem sequer haver a conclusão dos trabalhos, além de desmerecer a própria sindicância instaurada pelo Conselho, é medida apelativa, desarrazoada e movida por interesses políticos", escreveu.

Baseando-se na ideia de que o pedido do presidente do Conselho Deliberativo tem caráter político, o mandatário Wagner Pires de Sá alega que convidou membros da chapa opositora nas eleições ocorridas em 2017 para participar de sua gestão.

"Não se devem confundir interesses políticos internos com interesses do Clube. Por esta razão, a atual gestão trouxe para fazer parte da administração diversos membros da chapa opositora, tudo com vistas a pacificar o ambiente interno e prestigiar a transparência da administração", disse.

Um exemplo é o diretor de novos negócios Renê Salviano. Conselheiro eleito do clube, ele era membro da chapa de Sérgio Santos Rodrigues, candidato derrotado por Wagner Pires de Sá no pleito de 2017, mas se tornou dirigente da atual gestão quatro meses após o início do mandato de Wagner.

Confira, abaixo, a nota da diretoria do Cruzeiro:

O CRUZEIRO ESPORTE CLUBE, tomando conhecimento da nota veiculada nesta data pelo Presidente do Conselho Deliberativo, Zezé Perrella, em que solicita o afastamento do Presidente e de sua diretoria do Clube, bem como informa que designará reunião do seu conselho para deliberação sobre o assunto, vem a público dizer o seguinte:

1 - A atual direção do CRUZEIRO ESPORTE CLUBE é conhecedora da grandeza da nossa Instituição e da imensa responsabilidade em representar os interesses de toda Nação Azul, nela incluída, seus conselheiros, associados e nossos milhões de torcedores.

2 - A última eleição de nosso Clube legitimou a atual gestão que desde o primeiro dia de administração vem trabalhando incessantemente para fazer o melhor ao nosso Gigante Celeste; sempre obstinados em engrandecer nossas Cinco Estrelas.

3 - Nestes últimos dias a atual administração, e por reflexo nosso Cruzeiro, vêm suportando uma série de acusações difundidas em vários meios de comunicação, as quais já acarretaram imenso prejuízo ao patrimônio financeiro e moral do nosso Clube.

4 - Constitui ato de irresponsabilidade a atuação de pessoas que pretendem a qualquer preço atacar a atual direção valendo-se da máxima "quanto pior, melhor".

5 - Não se devem confundir interesses políticos internos com interesses do Clube. Por esta razão, a atual gestão trouxe para fazer parte da administração diversos membros da chapa opositora, tudo com vistas a pacificar o ambiente interno e prestigiar a transparência da administração.

6 - Neste contexto, a atual direção recebe com muita estranheza o conteúdo da nota do Presidente do Conselho Deliberativo, sobretudo em razão de que a Diretoria do Clube tem tomado todas as providências necessárias para apurar eventuais equívocos no decorrer da administração, inclusive fornecendo toda a documentação solicitada pela sindicância interna. Portanto, o irresponsável pedido de afastamento, sem sequer haver a conclusão dos trabalhos, além de desmerecer a própria sindicância instaurada pelo Conselho, é medida apelativa, desarrazoada e movida por interesses políticos.

7 - O certo é que a atual administração do CRUZEIRO trabalha arduamente em benefício da instituição e não admitirá a manipulação política como instrumento de afastamento dos seus dirigentes, que somente poderia ocorrer na forma da lei vigente e do seu Estatuto Social, circunstâncias estas que não ocorreram.

8 - As polêmicas construídas em desfavor dos interesses dos dirigentes e do Clube atingem a todos. É necessária responsabilidade com a instituição e com seus associados e Conselheiros, não podendo o Clube continuar sendo vítima de disputas políticas de eleições que já se encerraram. É necessário reconhecer os erros, corrigir a rota e tomar as medidas que são necessárias, como temos feito.

9 - O CRUZEIRO ESPORTE CLUBE aguarda, com muita serenidade, o encerramento dos trabalhos da comissão de sindicância, criada pelo próprio Conselho com absoluto e irrestrito apoio da Presidência, e reafirma seu compromisso com a transparência e com a firmeza em defesa intransigível do CRUZEIRO.

Mais Esporte