PUBLICIDADE
Topo

Firmino faz golaço e salva Liverpool em jogo sofrido contra o Wolverhampton

Roberto Firmino comemora após marcar pelo Liverpool contra o Wolverhampton - Oli SCARFF / AFP
Roberto Firmino comemora após marcar pelo Liverpool contra o Wolverhampton Imagem: Oli SCARFF / AFP
do UOL

Do UOL, em São Paulo

23/01/2020 18h51

O Liverpool temeu por sua invencibilidade, mas venceu o Wolverhampton por 2 a 1 hoje, fora de casa, e acumulou 40 partidas sem derrota no Campeonato Inglês, além da ponta isolada. Mané deixou o campo lesionado no primeiro tempo e fez muita falta aos Reds, mas Roberto Firmino, antes apagado, se apresentou ao jogo nos minutos finais e salvou a equipe com um golaço.

A vitória não muda muita coisa para o time que já liderava o Campeonato Inglês com folga antes de entrar em campo hoje, mas é uma vantagem a mais; agora, o Liverpool foi a 67 pontos - tendo disputado uma partida a menos do que o Manchester City, vice-líder com 51.

Os Reds, cirúrgicos como de costume, abriram o placar cedo. Logo aos oito minutos, Alexander-Arnold voltou a mostrar porque é um dos melhores laterais da atualidade ao mirar um escanteio na cabeça de Henderson, que tocou para o gol e fez a festa da torcida vermelha. Mas a saída de Mané por lesão, aos 30 do primeiro tempo, diminuiu o ímpeto do Liverpool. O senegalês fez muita falta.

Andrew Powell/Liverpool FC via Getty Images
Imagem: Andrew Powell/Liverpool FC via Getty Images

O Wolverhampton, porém, devolveu a "gentileza" e chegou ao empate no início do segundo tempo. Aos seis minutos, Rui Patricio repôs a bola em jogo e iniciou um contra-ataque. Raul Jimenez carregou a bola em velocidade, tocou para Traore e se apresentou na área para recebê-la de volta em cruzamento. O atacante mexicano cabeceou e marcou.

O gol do time da casa representou a primeira vez que o Liverpool foi vazado após sete partidas no Campeonato Inglês. Para piorar, o medo de perder a invencibilidade na Premier League cresceu; afinal, mesmo com o vice-campeonato na temporada passada, o torcedor vermelho se desacostumou a tropeçar na competição.

Matthew Ashton - AMA/Getty Images
Imagem: Matthew Ashton - AMA/Getty Images

Além da ausência de Mané, substituído no primeiro tempo, o Liverpool sentiu falta de Firmino durante a maior parte do confronto; ele disputou a partida inteira, mas só apareceu bem no 84º minuto. Depois de Salah brigar pela bola em boa jogada, o brasileiro assumiu o domínio, cortou a marcação e chutou no ângulo — desta vez sem dar chances para Rui Patricio, que já havia defendido uma tentativa de Firmino antes.

O goleiro português teve dificuldade, também, na primeira ofensiva do Liverpool na etapa complementar. Quando a bola rolou, Traoré cochilou no campo de defesa e foi desarmado por Salah, que exigiu grande defesa de Rui Patricio e lamentou. Do outro lado, Alisson fez milagre para impedir um gol do próprio Traoré aos 20, e um de Raul Jimenez aos 23 do segundo tempo.

Salah quase desequilibrou o duelo no lance seguinte, ao cortar a marcação, ajeitar a bola e chutá-la para fora, rente à trave direita de Rui Patricio. Mas o egípcio, sozinho sem Mané e até então com Firmino apagado, não conseguiu encaixar as oportunidades que teve.

Matthew Ashton - AMA/Getty Images
Imagem: Matthew Ashton - AMA/Getty Images

Esporte