PUBLICIDADE
Topo

Wada exclui Rússia de todas competições esportivas internacionais por 4 anos

09/12/2019 09h53

Genebra, 9 dez (EFE).- A Agência Mundial Antidoping (Wada) decidiu nesta segunda-feira excluir a Rússia de competições internacionais por quatro anos devido por manipulação de dados esportivos do laboratório de Moscou.

Com essa decisão, os russos estão fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano que vem, da Copa do Mundo do Catar-2022, além das Olimpíadas de Inverno de Pequim, também em 2022.

Tais manipulações tornam impossível verificar se 145 dos 298 atletas russos suspeitos e incluídos no banco de dados violaram as regras antidopagem entre 2012 e 2015. Portanto, a Wada considerou que a Rússia tentou encobrir possíveis aspectos positivos.

Em seu veredicto, votado por unanimidade, a Wada notou que havia seguido as recomendações do Comitê de Revisão de Conformidade (CRC), um órgão independente da agência, que indicou que os dados apresentados pela Rússia não eram completos nem autênticos.

"O doping russo tem ultrajado o esporte por muito tempo, e a flagrante violação das autoridades russas exige uma resposta enérgica", disse o presidente da Wada, Craig Reedie, em comunicado anunciando a decisão.

"A Rússia teve todas as oportunidades de colocar as coisas em ordem e se unir à comunidade mundial contra o doping, pelo bem de seus atletas e pela integridade do esporte, mas optou por seguir sua posição de decepção e negação. Então a Wada respondeu nos termos mais fortes possíveis", acrescentou.

A sanção, que Moscou pode recorrer na Corte Arbitral do Esporte (CAS), impede os russos de competirem sob sua bandeira por quatro anos nos Jogos Olímpicos e Copas do Mundo, entre outros eventos esportivos, bem como o país de organizar competições internacionais em seu território.

Os atletas russos só poderão participar de eventos esportivos internacionais "se conseguirem provar que não estão envolvidos" no atual escândalo de manipulação de dados e, mesmo neste caso, não poderão representar seu país.

A situação será semelhante à dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, quando o atletismo russo competiu sob a bandeira olímpica, embora neste caso, estendido a todos os esportes do país e todos os torneios internacionais.

Além disso, também impede que altos funcionários russos se juntem a organismos esportivos internacionais durante o mesmo período ou participem de eventos como os Jogos Olímpicos ou Paraolímpicos, outros eventos esportivos internacionais ou campeonatos mundiais.

As cidades russas não poderão concorrer aos Jogos Olímpicos de Verão de 2032, e a bandeira do país não poderá ser exibida em nenhum evento esportivo internacional, acrescentou a decisão da Wada. EFE

Esporte