Topo

Curandeira de 95 anos pode ter definido título e rebaixamento na Argentina

Juan Manuel Hernández/UNO
'Dona Paula' fez benzeduras a jogadores do ameaçado Patronato, que venceu o Defensa y Justicia por 2 a 0 Imagem: Juan Manuel Hernández/UNO
do UOL

Do UOL, em São Paulo

2019-03-20T04:00:00

20/03/2019 04h00

Se seu time briga contra o rebaixamento, todo jogo costuma ser angustiante e difícil. E a situação é mais dura se o adversário é um time que disputa as primeiras colocações.

Na Argentina, era essa a situação do Patronato no último domingo (17). Jogando em casa, o time teria pela frente o Defensa y Justicia, que disputa com o Racing a liderança da primeira divisão argentina.

Como toda ajuda é bem-vinda, o Patronato recebeu uma visita incomum antes do jogo: Paula Aranda, uma senhora de 95 anos que se apresentou como curandeira. No último treino da equipe da cidade de Paraná antes da partida, ela esteve no estádio Presbítero Bartolomé Grella e fez suas benzeduras nas traves do local.

Mais do que isso: as mãos e as chuteiras dos jogadores também receberam preces e orações. O técnico Mario Sciacqua também ganhou os cuidados de "Dona Paula" na visita.

"Você é o Sciacqua?", perguntou ela no encontro, segundo o jornal Uno, da província de Entre Ríos. "Te conheço, porque você jogou no Colón. Era o número 7", acrescentou. Mario Sciacqua jogou no Colón entre 1992 e 1993, trabalhando duas vezes como técnico do time de Santa Fe entre 2011 e 2013.

Torcedora fanática do Patronato, Dona Paula é figura conhecida no bairro de El Sol, onde mora. Não apenas por seu alegado poder de cura, mas também pela paixão pelo esporte. "Vejo no jornal que algum jogador do Patronato se machucou e automaticamente o curo", assegurou ela, também em entrevista ao jornal Uno no começo de março. "Te digo a verdade: dou risada e comemoro quando ganham, mas choro quando eles perdem."

Em campo, o apoio de Dona Paula se converteu em vitória sobre o Defensa y Justicia: 2 a 0, com dois gols no segundo tempo. Gabriel Carbajal abriu o placar em cobrança de pênalti aos 17 minutos, enquanto Germán Berterame ampliou aos 32 minutos. E o resultado acabou sendo fundamental para as duas equipes.

Clube Atlético Patronato/Divulgação
Vitória sobre o Defensa y Justicia deu fôlego ao Patronato na briga contra o rebaixamento; rival viu o Racing abrir vantagem na ponta Imagem: Clube Atlético Patronato/Divulgação
Para o Patronato, a vitória tirou o time da zona de rebaixamento no promedio, a contabilidade de pontos das últimas três temporadas que define quem cai na Argentina. O time tem 90 pontos em 80 jogos (média de 1,125) e ocupa a 22ª colocação da classificação, à frente de Tigre (1,088), Belgrano (1,088), San Martín de San Juan (1,088) e San Martín de Tucumán (0,913). Os quatro últimos colocados são rebaixados.

Na outra ponta, o resultado também foi fundamental. Como o Racing venceu o Belgrano no sábado por 1 a 0, chegou a 55 pontos em 23 jogos. O Defensa, vice-líder, ficou com 51 após a derrota fora de casa e viu o rival abrir vantagem. O Boca Juniors, terceiro, tem 47 pontos.

Faltando duas rodadas para o fim da temporada 2018/2019 da primeira divisão argentina, Dona Paula pode ter ajudado a definir não apenas o rebaixamento, mas o título.

Mais Esporte