PUBLICIDADE
Topo

Rui Costa fala em luto por eliminação, mas diz que Dudamel fica no Atlético

Treinador amargou junto com o time a segunda eliminação em menos de uma semana no Atlético-MG
Imagem: Treinador amargou junto com o time a segunda eliminação em menos de uma semana no Atlético-MG
do UOL

Do UOL, em Belo Horizonte

27/02/2020 01h04

O técnico Rafael Dudamel seguirá no Atlético-MG mesmo após a eliminação para o Afogados-PE, pela Copa do Brasil, nesta noite de quarta-feira (26). Após o empate por 2 a 2 no tempo normal, o Galo caiu nos pênaltis por 7 a 6. Mais de uma hora depois, o diretor de futebol Rui Costa concedeu uma entrevista ainda no estádio, mas garantiu que o técnico não será demitido.

"É um momento de dar a cara, eu preciso falar com o torcedor. Esse sentimento de tristeza também é nosso. É uma derrota inaceitável pela grandeza do Atlético. Eu não podia deixar de falar. É muito duro, mas agora é assumir esse luto e entender que nós vamos sofrer uma pressão muito grande e com justiça", iniciou.

Apenas o diretor de futebol esteve presente no compromisso na cidade de Afogados da Ingazeira. Após a eliminação, Rui esteve nos vestiários do Atlético com os jogadores e o técnico Dudamel. A segunda queda em menos de uma semana (o Galo também caiu na Copa Sul-Americana) aumentou a expectativa por uma demissão do treinador, que foi para sua entrevista de imprensa e também teve sua permanência garantida por Rui Costa.

"Nós falamos do jogo, do que aconteceu, do que tem que acontecer. Obviamente que eu irei dar minha opinião. Na minha opinião, os resultados são insatisfatórios, não vou negar, mas acho prematuro fazer uma avaliação tão definitiva do treinador. É preocupante, isso preocupa ele (Dudamel), o presidente, mas temos consciência que os resultados não são satisfatórios. As eliminações nos apontam que algo tem que ser feito, mas fazer uma avaliação tão definitiva do Dudamel ainda é prematuro", acrescentou.

"São várias consequências, todas difíceis de serem administradas. Mas temos que entender o momento. A situação é vergonhosa, dentro desse processo de constrangimento, temos que buscar meios para reverter isso. Agora, dizer que temos que mandar embora, da minha parte seria covardia. Falar mal em um momento como esse é algo que eu não faço. A responsabilidade é de todos nós e sabemos a gravidade desse momento", concluiu.

Esporte