Topo

Presidente do Avaí rebate Thiago Neves sobre 'mala branca': "Jogue futebol"

do UOL

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

19/11/2019 14h09

Resumo da notícia

  • Avaí chegou a comemorar o empate com o Cruzeiro mesmo sendo rebaixado
  • Thiago Neves levantou suspeita de uma possível 'mala branca' ao Avaí
  • "Querem justificar a incompetência deles", rebateu presidente do Avaí
  • "Avaí é um clube que sabe respeitar os concorrentes", disse o vice

Na noite de ontem (18), no Mineirão, Cruzeiro e Avaí empataram sem gols em jogo que fechou a 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado, apesar de ter rebaixado o time visitante para a segunda divisão, foi comemorado por parte dos jogadores e da comissão técnica catarinense, o que fez o meia Thiago Neves, após a partida, levantar a suspeita de uma possível 'mala branca'.

"Eu vi, agora no vestiário, o comentário de que eles comemoraram. Só pode, né? Para comemorar depois de terem sido rebaixados, qual o motivo da comemoração? Confesso que não vi a comemoração deles, mas não vejo o porquê de os jogadores comemorarem o empate", disse o meia do Cruzeiro após a partida, na zona mista.

Procurado hoje (19) pelo UOL Esporte para comentar as declarações do meia, o presidente do Avaí, Francisco Battistotti, pediu que Thiago Neves "vá jogar futebol".

Francisco José Battistotti, presidente do Avaí - Alceu Atherino / AVAÍ F.C.
Francisco José Battistotti, presidente do Avaí
Imagem: Alceu Atherino / AVAÍ F.C.
"Eles querem justificar a incompetência deles no jogo. O Thiago Neves que vá jogar futebol. Só o salário dele deve ser quase a metade da folha do Avaí no futebol. Não temos mais nada a falar, somente queremos terminar o campeonato com dignidade e vamos jogar pra isso", disse o mandatário do Avaí em entrevista ao UOL Esporte.

A reportagem conversou também com o atual vice-presidente do Avaí, Amaro Lúcio, que classificou a declaração de Thiago Neves como "descabida". Ele ainda justificou a comemoração dos jogadores e da comissão técnica - um ponto conquistado fora de casa num campeonato decepcionante - e disse que o Avaí é um clube que "sabe respeitar seus concorrentes".

"O Avaí entrou em campo para tentar fazer um bom resultado. Como em todos os jogos, aliás. Nem sempre ocorre o que se deseja. Não foi diferente contra o Cruzeiro. Havia um peso muito grande por conta da situação incômoda no campeonato. Desde que o Evando [Camilatto] assumiu como treinador interino, foram oito derrotas e a volta para a Série B praticamente confirmada. O empate com o Cruzeiro, um dos grandes do futebol brasileiro e sul-americano, teve gosto de vitória. Talvez por isso a reação dos atletas e do treinador interino. Pelo menos um ponto nessa dramática situação que a equipe vive", disse ao UOL Esporte.

"Quanto à declaração do atleta do Cruzeiro, nem merece ser comentada porque é descabida e sem nenhuma prova. O Avaí é um clube que sabe respeitar os concorrentes, independentemente do tamanho. É um clube sério. Sabe reconhecer os seus limites e seus erros e não procura repassar a outros as suas deficiências. Não transfere a outros o insucesso que momentaneamente enfrenta. O Avaí respeita todos os atletas do Cruzeiro e dos demais clubes das competições que participa. Jamais insinuaria que algum deles pudessem 'agir de forma não esportiva', finalizou.

Já rebaixado, o Avaí volta a campo no próximo domingo (24) para encarar a vice-lanterna Chapecoense, outra equipe que luta contra o descenso. O jogo acontece no estádio da Ressacada, às 19h (de Brasília).

O Cruzeiro, por sua vez, visita o terceiro colocado Santos um dia antes, sábado (23), na Vila Belmiro, às 21h. O time celeste é o 16º da tabela da Série A e soma 36 pontos, apenas um a mais que o Fluminense, primeira equipe da zona de rebaixamento.

Esporte