Topo

Paquetá celebra volta por cima: "Represento a seleção, não um número"

Lucas Paquetá vibra após marcar o 1° gol do Brasil contra a Coreia do Sul - Pedro Martins / MoWA Press
Lucas Paquetá vibra após marcar o 1° gol do Brasil contra a Coreia do Sul Imagem: Pedro Martins / MoWA Press
do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/11/2019 12h40

Alvo de críticas do ex-jogador Rivaldo por ter recebido a camisa 10 da seleção brasileira, Lucas Paquetá viveu um dia de reviravolta hoje (19). O meia do Milan, da Itália, abriu os 3 a 0 sobre a Coreia do Sul e teve bom desempenho, diferente do que havia acontecido contra a Argentina na última sexta-feira. Após o amistoso, falou em tom de alívio e desabafo para celebrar a recuperação.

"No jogo da Argentina eu particularmente me cobrei muito e perdi um pouco da confiança logo nos primeiros passes. Mas eu tive apoio do elenco e do professor. Eu sempre me cobrei muito, às vezes até em excesso. Sabia da importância do jogo (contra a Argentina), da oportunidade, mas acabei não aproveitando. Aí conversei com o Tite e ele disse: 'Não, não é que você não aproveitou, você levou como amadurecimento'. Hoje eu tive a chance de fazer um bom jogo", celebrou, em entrevista ao Grupo Globo.

Quando perguntado sobre o fato de ter vestido a camisa 10 mais uma vez, Paquetá mostrou polidez para abordar o assunto. As críticas feitas por Rivaldo eram direcionadas à comissão técnica de Tite, alegando que um número tão importante deveria ser entregue a jogadores de um patamar mais alto do que supostamente Paquetá ocupa. A declaração chegou a ser rebatida pela irmã do ex-flamenguista ontem.

"É uma camisa especial, como a 7 de Bebeto e a 11 de Romário. Estou focado e represento a camisa da seleção brasileira, não um número", ponderou Paquetá, que chegou ao segundo gol pela seleção brasileira.

Esporte