Topo

Coutinho no Bayern é um novo episódio na 'novela Neymar'

19/08/2019 17h21

Barcelona, 19 Ago 2019 (AFP) - Uma moeda de troca a menos: o meia brasileiro do Barcelona, Philippe Coutinho, por quem o Paris Saint-Germain estava interessado e que poderia ter sido trocado por Neymar, foi cedido nesta segunda-feira oficialmente ao Bayern de Munique. Uma operação que alivia as finanças do Barça mas que complica a volta do astro do PSG ao clube catalão.

- "História de um grande fracasso" -Dezoito meses depois de gastar 120 milhões de euros (e 40 milhões de bonificações) para tirar Coutinho do Liverpool, a contratação mais cara de sua história, o Barça optou por emprestar o brasileiro por uma temporada ao Bayern para que recupere seu nível.

A operação foi revelada na sexta-feira pelo clube catalão, que confirmou nesta segunda que receberia 8,5 milhões de euros por este empréstimo, que inclui uma opção de compra não obrigatória de 120 milhões de euros. "O jogador brasileiro passou pelos exames médicos no domingo e assinou seu contrato", confirmou o Bayern.

Apesar das duas Ligas e a Copa do Rei conquistadas durante sua passagem pelo Barcelona, Coutinho nunca se adaptou ao sagrado jogo de toques do time 'azulgraná' e sua saída do Barcelona gera uma decepção: "Coutinho, história de um grande fracasso", destacou nesta segunda-feira em sua capa o jornal esportivo catalão Sport.

"Para mim, esta mudança representa um novo desafio em um novo país com um dos melhores times da Europa. Assim como o Bayern, tenho grandes ambições", disse o brasileiro.

Na Baviera, Coutinho terá a difícil missão de substituir os veteranos Arjen Robben e Franck Ribéry, que foram embora no final da temporada passada. "É o tipo de reforço que precisávamos", disse o goleiro Manuel Neuer, depois que vários pesos pesados do elenco do Bayern terem pedido novas contratações.

- Cofres aliviados -No Barça, a saída de Coutinho representa um alívio esportivo mas também financeiro. O brasileiro tinha um dos salários mais altos do elenco: cerca de 12 milhões de euros líquidos segundo a imprensa (23 milhões de euros líquidos), que o Bayern assumirá nesta temporada, segundo o Barcelona.

Em estado de alerta devido a uma folha salarial insana (40 milhões de euros líquidos por ano para Lionel Messi) e pelas recentes contratações de Antoine Griezmann (120 milhões de euros) e de Frenkie De Jong (75 milhõees de euros e 11 milhões em bonificações), as contas do clube catalão agora respiram aliviadas.

É verdade que o montante do empréstimo pago pelo Bayern é menor do que foi comentado inicialmente na imprensa espanhola (falava-se em cerca de 20 milhões de euros). Mas a saída de Coutinho permite ao Barça economizar algumas somas extras que devia pagar ao Liverpool.

- 'Novela Neymar' continua -Desde a reunião realizada na última terça em Paris entre o PSG e o Barça, nada mudou em relação à transferência do astro brasileiro, que deixou o clube catalão em 2017 em troca da soma recorde de 222 milhões de euros... Mas nas últimas semanas tem mostrado seu desejo de voltar.

Devido à falta de liquidez, não parece que o clube azulgraná esteja disposto a oferecer o preço exigido pelo PSG sem incluir um ou vários jogadores na operação e mais uma quantia em dinheiro, afirmou a imprensa da cidade catalã. E agora Coutinho, jogador que colocava os dois times de acordo, fica fora da negociação.

A dúvida é se o PSG vai aceitar outros jogadores como o meia Ivan Rakitic (que não quer sair), o atacante Ousmane Dembélé (que tampouco quer deixar o Barcelona) ou o lateral Nelson Semedo (que chamou de "fake news" os rumores sobre sua saída.

"Negociação frenética", destacou nesta segunda o Sport, garantindo que o Barça se mantém "otimista".

Segundo a rádio catalã Rac1, nesta segunda houve uma reunião na sede do Barcelona com a presença do presidente, Josep Maria Bartomeu, para formalizar uma oferta escrita ao PSG. "Estamos confiantes, existem opções", declararam à Rac1 fontes próximas às negociações.

Já o jornal Mundo Deportivo informou que "Neymar continua esperando o Barça", apesar do interesse do Real Madrid, que dispõe de liquidez, mantém boas relações com o PSG e prepara um "contra-ataque" nesse caso, segundo o As.

Mas nada é fácil: o Real Madrid não conseguiu se desvencilhar de Gareth Bale e do colombiano James Rodríguez, que recebem salários altos. E o técnico Zinedine Zidane, que se mostrava reticente com a ideia de contratar Neymar, confirmou no sábado que Bale vai ficar em Madri e que além disso, conta com James.

jed/dhe/gh/aam

Mais Esporte