Topo

"Televisão usou os mesmos meios que na Copa masculina", diz organização da França-2019

19/07/2019 14h28

Paris, 19 Jul 2019 (AFP) - "As emissoras de televisão decidiram usar os mesmos meios que na Copa masculina de 2018 na Rússia. Nesse momento nos demos conta que isso ia tomar uma dimensão excepcional". Erwan Le Prévost, diretor do comitê de organização, conversou em entrevista à AFP sobre o sucesso da Copa do Mundo da França de futebol feminino.

- Em que momento a organização se deu conta de que o impulso de popularidade da Copa do Mundo feminina seria de uma magnitude sem igual?

"No momento do lançamento do dispositivo televisivo TF1-Canal+. As emissoras de televisão decidiram usar os mesmos meios que usaram para cobrir a Copa do Mundo masculina de 2018 na Rússia. Nesse momento nos demos conta de que isso ia tomar uma dimensão excepcional. Mas estávamos preparados para absorvê-lo. E quando chegou o tsunami, não desistimos. Embora poucas pessoas acreditavam em nós no início, em 2014 (candidatura francesa). Quando decidimos usar o Parque dos Príncipes para o jogo de abertura da seleção feminina contra a Coreia do Sul, alguns ficaram em dúvida. Mas aí chegou o dia e nos perguntamos por que não escolhemos o Stade de France, muito maior. Era impossível imaginar a popularidade que ia alcançar este evento. Há quatro-cinco anos, ninguém poderia imaginar, nem a gente. Foram 24 jogos com todos os ingressos vendidos, e dois em que todo mundo que comprou ingresso estava fisicamente presente no estádio".

- Cometeram algum erro de organização?

"Não há algo em que tenhamos dito, a posteriori: 'Olha, isso poderia ter sido feito de outra maneira'. Mas tivemos erros, sim, como na partida de abertura no Parque dos Príncipes com entradas que não permitiam entrar no local. Mas soubemos reagir rapidamente, compartilhar nosso erro com outros estádios para que não acontecesse novamente. E depois dessa partida de abertura a polícia decidiu mudar todo o dispositivo de segurança que havíamos colocado em prática há seis meses para se concentrar no presidente (da França), Emmanuel Macron. Fomos ao trabalho e nos adaptamos para garantir a segurança dos dignatários da Fifa dentro do Parque dos Príncipes".

- Esta Copa foi a mais vista e a mais popular de todas. Qual será o impacto no futebol feminino na França?

"A Federação Francesa de Futebol se colocou na linha de frente para receber as novas praticantes. O objetivo era ultrapassar a barreira das 200.000 atletas federadas de aqui até 2020, e essa meta deve ser alcançada em dois meses. É a melhor herança que podíamos deixar".

pve/pgr/am

TF1 - TELEVISION FRANCAISE 1

SOCIETE D'EDITION DE CANAL +

Mais Esporte