Topo

Boselli pede Corinthians jogando pelo chão para "asfixiar" adversários

do UOL

Arthur Sandes e Flávio Latif

Do UOL, em São Paulo

2019-04-25T00:41:22

25/04/2019 00h41

Um dos destaques do Corinthians na vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense na noite de ontem, Mauro Boselli se juntou a Cássio para "substituir" Fábio Carille na entrevista coletiva após a partida. O argentino cobrou que o Alvinegro abandone de vez o "chuveirinho" na área e continue explorando as jogadas pelo chão, como fez para se classificar às oitavas de final da Copa do Brasil.

"Pela qualidade dos jogadores, o estilo da equipe tem que ser sempre pelo chão, criando muitas jogadas de gol. Porque há muitos jogadores de qualidade para fazer isso", opinou o argentino, autor do primeiro gol corintiano ontem em lance construído pelo alto, após cruzamento de Ralf.

No geral, no entanto, o Corinthians apostou na troca de passes e assim conseguiu ter armação bem melhor do que em partidas recentes e dominou a Chapecoense. Passou a dominar principalmente após o gol de Boselli e seguiu em alto ritmo até Mateus Vital fazer o gol da classificação. O time já mostrou que tem potencial, agora precisa manter regularidade. Daí o pedido de Boselli por maior atuações deste mesmo nível daqui para frente.

"Temos que jogar da mesma fora dentro e fora de casa, para não precisar fazer uma partida perfeita - como tivemos que fazer hoje - para ter a classificação. Em casa temos que asfixiar o rival. Com a pressão da torcida que temos, o adversário se complica muito", entende o atacante.

Boselli chegou ao segundo gol em 2019. A conta ainda é bem tímida perto dos oito marcados por Gustavo, mas já tem muito torcedor pedindo o argentino como titular da equipe. Ontem ele só jogou porque o concorrente tem incômodo muscular na coxa direita, mas a disputa está aberta.

"Muito se fala de que a equipe joga de um jeito comigo e, sem mim, de outro. Não estou tão de acordo com isso", diz Boselli, referindo-se à análise de que o Corinthians aciona o jogo aéreo demais quando tem Gustagol em campo. "Houve partidas em que Gustavo foi muito importante: quando o time não foi bem, ele decidiu. Comigo houve jogos em que o time ganhou e eu não marquei. É o que falamos dentro do vestiário: não importam os nomes, o que importa é a equipe", afirma.

Seja com Boselli ou com Gustavo, o Corinthians volta a campo na estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Bahia, às 16 horas (de Brasília) de domingo (27). Na Copa do Brasil, o Timão espera sorteio para conhecer seu próximo adversário no mata-mata nacional.

Mais Esporte