PUBLICIDADE
Topo

Dos Anjos 'ignora' vitória de McGregor e lança desafio: "Tem que me enfrentar"

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

22/01/2020 16h05

Neste sábado (25), Rafael Dos Anjos vai fazer sua oitava luta na categoria dos meio-médios (77 kg) quando encara Michael Chiesa, pelo UFC Raleigh. Apesar de ressaltar seu foco total no americano, o atleta não deixou de comentar a apresentação de seu antigo desafeto, Conor McGregor, na sua atual divisão. Ambos os lutadores estiveram perto de se enfrentar em maio de 2016, mas o brasileiro se lesionou e saiu do combate. Por isso, no que depender da sua vontade, o caminho dos dois vai se cruzar novamente.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o lutador natural de Niterói (RJ) afirmou que o irlandês ainda não provou nada na categoria até 77 kg, apesar do triunfo em apenas 40 segundos sobre Donald Cerrone, no UFC 246, no último sábado. Para ele, falta para o 'Notorious' enfrentar um rival que esteja há mais tempo na divisão e se colocou à disposição do Ultimate para resolver essa questão, para assim ser um verdadeiro teste para o europeu.

"O McGregor caiu de paraquedas na categoria. Ele nunca ganhou de um meio-médio mesmo. Venceu o Cerrone e o Nate Diaz, que ficam flutuando nas divisões. Ele são pesos-leves que aceitam lutar nos meio-médios. Ele nunca pegou um Usman, Lawler, que são caras grandes. Tem eu, o Masvidal, que conquistou esse cinturão, que não entendo o que é isso. A categoria está recheada, tem vários nomes e o Conor chegou para movimentar mais. Nós dois temos uma história, estivemos perto de lutar e acho que essa luta é do meu interesse, está no meu radar. Pretendo ficar mais ativo esse ano e, lutando em janeiro, acho que vou conseguir", disse o lutador, emendando o motivo de confiar uma luta entre ele e o irlandês faça sentido

"Estou no top 5 da categoria (atualmente ocupa a quinta posição no ranking). Aqui nos Estados Unidos me chamam de 'guardador do portão', porque todo mundo que entra na categoria tem que me enfrentar. Não tenho problema com isso, não ligo. Dizem que o Dana (White) me vê assim também, não me importo. Então acho que se ele quiser se testar na divisão, tem que passar por mim. Se essa oportunidade aparecer, vou pegar", completou.

Sem lutar desde julho de 2019, quando encarou e acabou derrotado por Leon Edwards, Dos Anjos destacou que para esse confronto contra Chiesa conseguiu, pela primeira vez desde que chegou aos meio-médios, ter um camp completo e sem pressa. Para o brasileiro, esse fator será um diferencial para ter uma grande apresentação e adiantou que está preparado para um possível jogo de solo, sua especialidade e do seu rival também.

"Ele é um cara duro, vem embalado, subiu de peso como eu. É um cara alto, tem uma grande envergadura e gosta de fazer uma luta no chão. Vai casar bem o jogo. Treinei bem meu jogo de luta agarrada, pela primeira vez agora na categoria fiz um camp longo para uma luta de três rounds. Foram dez semanas, tudo ocorreu bem, sem lesões. Agora é uma oportunidade de mostrar meu arsenal. Treino jiu-jitsu há anos. A luta começa em pé, pode ser que vá para o chão, mas o MMA é imprevisível demais. Estou preparado para tudo", finalizou.

Ex-campeão dos leves, Rafael Dos Anjos subiu para a categoria dos meio-médios em 2017. Nessa nova divisão, o brasileiro soma quatro vitórias e três derrotas. Em 2018, o lutador teve a oportunidade de conquistar o título interino, mas acabou superado por Colby Covington.

Esporte