PUBLICIDADE
Topo

Às vésperas de luta com 'Cyborg', campeã do Bellator admite: "Sonho se tornando realidade"

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

22/01/2020 08h00

Desde que chegou ao Bellator, Julia Budd se acostumou a exercer o papel de protagonista. Afinal de contas, a canadense se mantém invicta na organização com sete vitórias e reina soberana como campeã dos pesos-penas (66 kg). No entanto, apesar do prestígio da veterana na liga, no próximo sábado (25) 'The Jewel' será a coadjuvante pela primeira vez na companhia. O motivo? Do outro lado do cage estará simplesmente Cris 'Cyborg'.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Budd pregou todo o respeito para a brasileira e admitiu que o confronto é um sonho que se torna realidade em sua carreira. Em uma avaliação bem detalhada, a canadense destacou os pontos fortes de Cyborg e afirmou que para sair vitoriosa contra a ex-campeã do Invicta, StrikeForce e UFC no Bellator 238, com sede em Inglewood (EUA), terá que competir próximo da perfeição.

"É enorme, isso é tudo para mim. Me preparei durante toda a minha carreira para essa luta. Então estou muito ansiosa. Por muitos anos (tenho assistido a Cyborg). A primeira luta que me foi oferecida, antes mesmo de eu fazer MMA foi a Cris Cyborg, então estive de olho nela durante toda a minha carreira. Ela é uma striker explosiva, tem sido uma campeã dominante no UFC e no StrikeForce. Mas eu acredito nas minhas habilidades, no fato de ser boa em todas as áreas, na minha destreza nas artes marciais mistas. Acredito que tenho as ferramentas necessárias para vencê-la", analisou Budd, antes de projetar uma atuação perfeita contra Cris, a fim de sair com o braço erguido no sábado.

"Tenho que usar tudo que tenho, juntar tudo, sabe? Minhas habilidades no muay-thai, wrestling, meu jogo de chão, tudo. Lado mental, físico e psicológico, tudo, preciso disso tudo alinhado para essa luta, para a qual eu me preparei tão bem. Isso é um sonho se tornando realidade, é o tipo de luta que só acontece - você é sortuda se ela acontece na sua carreira. Me sinto abençoada e agradecida por essa luta sair do papel", completou a campeã peso-pena do Bellator.

Mas apesar da admiração por Cyborg, Julia também se mantém confiante na defesa de seu título no sábado. Veterana no esporte, a canadense já enfrentou grandes nomes do MMA feminino como Ronda Rousey e Amanda Nunes. Desta forma, a peso-pena já está acostumada a encarar lendas em um duelo. A diferença para o combate contra Cris no Bellator é que a campeã se sente mais madura e completa como artista marcial.

"Essas lutas (contra Ronda e Amanda), sinto que elas vieram em uma época em da minha vida em que eu não tinha as habilidades necessárias para enfrentá-las. Não era tão boa (quanto agora). Mas com essa luta (Cyborg) acontecendo em um momento em que acredito mais nas minhas destrezas, e me sinto uma melhor artista marcial. É ótimo que eu possa me testar nesse momento, e mostrar o que tenho. Mas ao mesmo tempo, essa lutas (Ronda e Amanda) me fizeram ser a campeã que eu sou hoje. Então não me arrependo, fico feliz de ter aceitado essas lutas porque me ajudaram a construir quem eu sou agora", relembrou Budd, antes de comentar sobre o status de sua próxima adversária.

"Não posso olhar para ela dessa forma ('GOAT'). Isso é para outras pessoas decidirem, a mídia e tudo mais. Podem chamar ela do que quiserem, mas para mim ela é uma mulher com dois braços e duas pernas e vou lutar com ela. Tenho que deixar de lado esse imaginário que circunda ela e me dar conta de que vou enfrentar outro ser humano que estará do outro lado do cage", minimizou a canadense.

Em caso de vitória sobre Cris, 'The Jewel' consolidaria ainda mais sua dominância na divisão até 66 kg do Bellator. E eventualmente sem grandes desafios na companhia, a peso-pena canadense abriu as portas para uma possível 'superluta' entre campeãs contra Amanda Nunes. De acordo com Budd, só falta o aval do Ultimate para o projeto sair do papel.

"Sim, Bellator está de acordo, disseram que aceitariam (superluta contra Amanda liga vs liga). O quão gigante isso seria? Vencer a Cyborg e depois lutar com a Amanda Nunes, ter essa oportunidade. Uma luta de campeã contra campeã, em parceria com o UFC. Sei que o Bellator está de acordo com isso, mas veremos se o UFC também topa", revelou Julia.

A luta entre Cris e Budd servirá como a luta principal do Bellator 238 e marca a estreia da multicampeã brasileira na organização. No mesmo evento, outro atleta ex-UFC realiza seu debute na companhia: Sergio Pettis, que encara Alfred Khahsakyan, na divisão dos pesos-galos (61 kg).

Esporte