Topo

Mudanças no carro da Ferrari explicam queda de Vettel contra Leclerc

Vettel durante o GP da Áustria - Andrej ISAKOVIC / AFP
Vettel durante o GP da Áustria Imagem: Andrej ISAKOVIC / AFP
do UOL

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

16/07/2019 04h00

Questionado no último domingo, após o GP da Inglaterra, em que estampou a traseira do carro de Max Verstappen, sobre como definia sua temporada em uma palavra, Sebastian Vettel não titubeou: "Difícil". Afinal, há um ano, ele saía de Silverstone como vencedor e líder do campeonato, com 171 pontos. Hoje, ocupa só a quarta colocação, com 123 pontos e nenhuma vitória desde agosto do ano passado.

Mais do que isso, seu companheiro de equipe, Charles LeClerc, tem tido resultados melhores. Nas últimas quatro corridas, o monegasco foi melhor do que o alemão em três. Foram quatro pódios seguidos de LeClerc e só uma prova atrás do companheiro, no Canadá, em que Vettel quase venceu (foi a prova em que Vettel terminou na frente, mas levou uma punição polêmica em disputa com Lewis Hamilton, que terminou com a vitória).

Mas o que explica a queda do tetracampeão? "Não estou muito preocupado porque sei que alguns resultados poderiam ter sido diferentes por uma questão de detalhes. Mas sei que posso ter resultados melhores aos domingos. Estou animado para ir para a Alemanha agora."

Mas existe uma tendência nas últimas provas que dá motivos para o alemão se preocupar. Desde que a Ferrari iniciou uma série de mudanças no carro para acabar com os problemas de falta de aderência na parte dianteira, com as novidades levadas ao GP da França, em meados de junho, Vettel passou a ser consistentemente mais lento que o companheiro Leclerc. Isso porque o carro acabou ficando com a parte traseira mais solta, e isso casa melhor com o estilo de pilotagem do monegasco.

Vettel, por outro lado, tem reclamado que não consegue "sentir o carro", especialmente na classificação. Sem confiança nas freadas, ele ficou a 0s648 de Leclerc na classificação em Silverstone, e largou só em sexto. O companheiro foi o terceiro no grid.

Na corrida, Vettel disse não se sentir tão desconfortável. Mas não consegue entender o porquê. "Não tenho uma resposta para isso. Obviamente, não podemos mudar nada no carro da classificação para a corrida - as regras não permitem. Mas minha sensação foi melhor. Na classificação, não conseguia extrair o máximo do carro, enquanto na corrida eu tinha mais confiança nos pneus e no carro em geral."

Mesmo dizendo-se mais confortável em situação de corrida, Vettel não conseguiu se recuperar das classificações ruins e chegou atrás de Leclerc nas últimas três provas. Em Silverstone, ele vinha à frente do companheiro por ter feito sua parada com o Safety Car na pista, mas depois jogou fora o que poderia ser um pódio na disputa com Max Verstappen, pela qual foi punido.

"Ele me passou, mas depois deu uma espalhada, então minha saída de curva foi melhor", explicou Vettel. "Vi que ele deixou espaço do lado de dentro e tentei ir para lá, mas fui tarde demais. Tentei voltar para o outro lado, mas era tarde demais e batemos. Foi um erro e falei com Max depois. Foi um erro de cálculo."

Tais mudanças que a Ferrari fez no carro tinham o objetivo de melhorar a performance geral, o que foi feito, e não priorizar Leclerc. Porém, com o crescimento da Red Bull, que agora luta de igual para igual com a Scuderia depois das novidades introduzidas na Áustria, é importante para a Ferrari ter ambos os pilotos pontuando bem para a manutenção do segundo lugar no mundial de construtores.

Mais Esporte