Topo

Coudet de técnico gera brincadeiras em lançamento de evento de D'Alessandro

Eduardo Coudet, técnico do Racing, estará em Porto Alegre para Lance de Craque - Rodrigo Valle/Getty Images
Eduardo Coudet, técnico do Racing, estará em Porto Alegre para Lance de Craque Imagem: Rodrigo Valle/Getty Images
do UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

11/11/2019 21h06

Eduardo Coudet será técnico no Beira-Rio em 21 de dezembro. Isso está confirmado. Independente da direção do Internacional não garantir o acerto com o atual técnico do Racing, da Argentina, ele estará no reservado no Lance de Craque, evento beneficente de D'Alessandro. E isso gerou risadas e brincadeiras na apresentação do evento.

Quando o nome de Coudet foi anunciado, o presidente Marcelo Medeiros e o vice de futebol Roberto Melo, presentes na coletiva, se olharam e sorriram. D'Ale reagiu quando pôde.

"Deixa que eu seguro eles, agora", disse se referindo à imprensa. "Eu vi que vocês se olharam. Mas, calma. Eles estão reformulando as perguntas agora", completou entre sorrisos.

"Temos quatro treinadores, nosso jogo não tem cor, camisa, temos jogadores representando o Grêmio convidados também. Como sempre, fizemos a nossa parte. Mas o Coudet é meu amigo. Faz tempo, jogamos juntos, fomos campeões no River. Ele foi o cara que colocou o nome do "La Boba", a jogada que me deu tantas alegrias, e me deu de comer por tanto tempo. Ele fez questão de vir agora, sempre liguei, mas por questões de férias e compromissos acabou que não conseguia vir. A gente fica feliz, eu fico feliz. O Pereyra também é um cara que jogou conosco. Então convido ele como amigo, é um ex-colega. Até porque todo final de ano a gente se junta, faz churrasco, jogamos futebol, é uma amizade de muito tempo", disse D'Alessandro.

O Internacional não confirma, mas está alinhado com Coudet para comandar o time na próxima temporada. O técnico, que mantém a mesma conduta na Argentina enquanto comanda o Racing, aguarda a decisão de um torneio para se reunir com o presidente Victor Blanco e falar sobre o desligamento.

"É trabalho da diretoria. Eu não decido nada, sou funcionário, um atleta, e minha postura muitas vezes não quer dizer que eu tenha direito a uma opinião mais importante do que outros companheiros. Eu sou um cara de personalidade e caráter fortes. Muitas vezes eu erro, e vou continuar errando. Mas se eu tiver que passar para ele o que significa o Inter para mim, é claro. A maneira que o clube está hoje, se reerguei, brigando por coisas importantes, mesmo não tendo conseguido os objetivos que queríamos, voltou a estar figurando em jogos internacionais, uma boa campanha na Libertadores, chegou numa final e não por acaso, foi por muito trabalho. Infelizmente não vencemos a Copa do Brasil. Mas se ele me perguntar o que é o Inter para mim, direito que é o melhor clube do mundo. Isso será muito fácil. Mas é uma decisão da diretoria. Ele tem trabalho, temos que reconhecer que está no comando de um time muito importante. Tem uma final ainda neste ano. É um cara simples, honesto, que tem muito respeito pelo trabalho dele e as instituições que faz parte", completou D'Ale.

O tema seguiu, sempre com respostas sorridentes de D'Alessandro. E por mais que procurasse não dar detalhes, acabava repetindo elogios ao técnico.

"Não posso falar sobre algo que não aconteceu. Temos treinador e temos que respeitar, como respeitamos o Odair, hoje o Zé Ricardo. Não posso falar do que não sei se vai acontecer. É um treinador importante, fez trabalhos importantes, foi campeão na Argentina. É um cara maluco, parecido comigo, de caráter e personalidade. Ele é muito profissional, cobra muito para que tudo aconteça, aprendi isso com ele no River Plate, eu era muito jovem, ele um dos mais experientes, e aprendi muito com ele", finalizou.

Esporte