Topo

Pilotos defendem uso do "cartão amarelo" na F1 por disputas mais fortes

Charles Leclerc e Lewis Hamilton durante GP da Itália - Massimo Pinca/Reuters
Charles Leclerc e Lewis Hamilton durante GP da Itália Imagem: Massimo Pinca/Reuters
do UOL

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Singapura (SIN)

21/09/2019 06h51

A decisão do novo diretor de corridas da Fórmula 1, Michael Masi, de usar uma bandeira que já existia no regulamento, mas que andava esquecida, ganhou o apoio dos pilotos. Trata-se da bandeira preta e branca, que funciona como uma espécie de cartão amarelo para os pilotos, ou seja, serve para os comissários avisarem o piloto que não gostaram de determinada manobra, mas não gera nenhuma punição.

A decisão de passar a usar a bandeira mais constantemente veio antes do GP da Bélgica, mas ganhou visibilidade depois que ela foi mostrada a Charles Leclerc durante a disputa pela vitória com Lewis Hamilton durante o GP da Itália.

Há tempos pedindo que os comissários liberem mais as disputas, os pilotos gostaram da medida. "Não me importo em ter alguns toques durante a corrida", disse Max Verstappen. "E mesmo se não chegar a tanto, acho que você tem de ter a chance de se defender. Contando que eles mantenham a consistência, para mim não tem problema, por que daí todos os pilotos vão saber o que podem fazer e vão disputar da mesma maneira."

Outro piloto da nova geração, Lando Norris também apoiou a maior liberdade. "Nem vi tanto problema no que aconteceu entre o Charles e o Lewis em Monza, mas é normal disputar de forma mais forte, com alguns toques. Ver um seguindo o outro por toda a corrida é chato, não é F-1 e não seria algo que nós curtiríamos na pista. Gostamos das disputas e também é por causa delas que as pessoas gostam de ver. Eles perceberam que eles podem liberar certas coisas, algo que não estavam fazendo no passado e, se houver exageros, vai chegar num momento em que eles vão ver o que é bom e o que é ruim. É melhor isso do que simplesmente não permitir nada, então acho que é a direção certa".

Mas não foram apenas os jovens que gostaram. Piloto mais velho do grid, Kimi Raikkonen lembrou que a bandeira preta e branca é comum no kart. "Faz uns 100 anos que existe essa bandeira, então vamos usá-la! É para isso que ela existe, acho que só agora acordaram para o fato que já temos isso", reagiu o finlandês. "Acho positivo porque em vários lances acho que é loucura dar uma pena logo de cara, porque é o que eles têm que fazer por causa das regras. Mas também temos as bandeiras que dão uma acordada no pessoal."

Existe, contudo, a preocupação de que os pilotos passem a usar essa possibilidade de quebrarem o regulamento e não serem punidos da primeira vez para serem mais agressivos. Mas Raikkonen acha que todos sabem os limites. "Depende do que você fizer. Se você fizer uma coisa completamente estúpida é claro que não vão dar só uma bandeira. Para coisas menores, ela está lá."

Daniel Ricciardo acha que, com o tempo, os comissários vão delimitar melhor os limites. "Se mantivermos um certo nível de respeito, tudo bem. Mas se alguém estiver repetindo manobras mais sujas, acho que os comissários deveriam intervir. No momento, acho que estamos controlando isso bem."

Os pilotos estão em Singapura, onde disputam a 15ª etapa do campeonato neste final de semana.

Mais Esporte