Topo

"Parabéns aos jogadores do Figueirense". Blogueiros analisam W.O.

Jogadores do Figueirense deixam a Arena Pantanal - Reprodução
Jogadores do Figueirense deixam a Arena Pantanal Imagem: Reprodução
do UOL

Do UOL, em Santos (SP)

21/08/2019 11h30

Na noite de ontem (20), na Arena Pantanal, os jogadores do Figueirense resolveram não entrar em campo na partida contra o Cuiabá, pela Série B. O W.O. foi um protesto por conta dos salários atrasados - não só de atletas, mas também de funcionários.

Diante disso, resolvemos repercutir a atitude dos atletas do Figueirense com os blogueiros do UOL Esporte. Eles fizeram bem em não jogar? Veja as opiniões:

Andrei Kampff: "Que a atitude sirva de exemplo"

É preciso entender duas questões importantes: quem contrata precisa assumiria responsabilidade de pagar; outra, jogador é um trabalhador como outro qualquer. Ele tem um contrato com algumas especificidades, por isso chamado de Contrato Especial de Trabalho. Um contrato protegido pela lei do esporte, a Lei Pelé, CLT e a própria Constituição Federal. Legislação essa que garante rescisão após 3 meses de atraso salarial. A FIFA é até mais rigorosa e fala em 2 meses, Portanto, Figueirense e demais devedores, cuidado! A lei protege o direito de receber pelo serviço prestado. E parabéns aos corajosos atletas do Figueirense. Que a atitude sirva de exemplo.

Leia o blog Lei em Campo.

André Rocha: "Que sirva de exemplo"

Sim, são trabalhadores e precisam receber por isso. Só mesmo uma mentalidade escravagista que está plantada na nossa História e a total falta de consciência de classes que grassa no Brasil para defender trabalho sem remuneração. Que sirva de exemplo dentro e fora do futebol, ainda mais em um período de supressão de direitos dos brasileiros.

Leia o blog do André Rocha.

Benjamin Back: "Parabéns pela atitude!"

Parabéns aos jogadores do Figueirense pela atitude! Os caras estão lá trabalhando, cumprindo o dever deles e nada mais justo e normal que eles recebam os seus salários e em dia! Que os dirigentes do Figueirense agora pensem duas vezes antes de deixar de pagar os salários!

Leia o blog do Benja.

Bolívia: "Lei Pelé garante direito à paralisação"

Nenhum profissional é obrigado a continuar trabalhando sem receber seu salário. No futebol, a Lei Pelé garante o direito à paralisação após dois meses sem pagamento. Cada profissional e cada grupo tm os seus limites. Os jogadores julgaram que o momento de não entrar em campo era esse. Direito deles.

Leia o blog do Bolívia.

Juca Kfouri: "Foram exemplares"

Fizeram muito bem, foram exemplares. Se outros fizerem o mesmo entraremos em nova era no futebol brasileiro. Chega de espertalhões no comando dos clubes. Fizeram muito bem, foram exemplares. Se outros fizerem o mesmo entraremos em nova era no futebol brasileiro. Chega de espertalhões no comando dos clubes.

Leia o blog do Juca.

Marcel Rizzo: "É hora de punir os clubes"

Sim. Os clubes no Brasil normalmente acham que podem dever a Deus e o mundo que nada acontece. Avalio que os atletas fizeram isso para chamar a atenção para o problema. Curioso é que há mecanismos de punição em regulamentos da CBF para atraso de salário que jamais foram usados. É hora de punir clubes que não são bons pagadores com perda de pontos e até rebaixamento. Se não consegue pagar suas contas, feche as portas.

Leia o blog do Marcel Rizzo.

Mauro Cezar: "Como ir contra tal decisão?"

Como ir contra tal decisão? E a nota do clube ressalta que a comissão técnica esteve de prontidão para trabalhar, o que torna ainda mais elogiável e corajosa a postura dos atletas.

Leia o blog do Mauro Cezar.

Menon: "Causa espanto a falta de solidariedade de outros jogadores"

Os jogadores do Figueirense recusaram-se a enfrentar o Cuiabá. Não entraram em campo e o time perdeu por WO.

Motivo?

Salários e/ou direitos de imagem atrasados.

Uma atitude corretíssima, amparada pela Lei e pelo senso comum.

A Lei Áurea por enquanto não foi revogada. Quem trabalha, recebe.

Os dirigentes acusam os jogadores de extremismo. Dizem que o pagamento estava previsto para o dia 28. Mas escondem que não aceitaram uma contraproposta dos jogadores.

Qual era?

Entramos em campo, mas, se não recebermos dia 28, a diretoria renuncia.

Simples, não?

Ninguém aceitou. Assim, é fácil.

No sábado, o Figueirense recebe o CRB. Se houver novo WO, o time pode ser punido com a queda. Vai pagar? Vai escalar juniores?

E causa espanto a falta de solidariedade de outros jogadores brasileiros. O silêncio da cumplicidade.

Leia o blog do Menon.

Perrone: "Fizeram bem em cruzar as pernas"

Ninguém pode obrigar um trabalhador a trabalhar sem receber. Então, se os jogadores do Figueirense entendem que chegaram ao limite, fizeram bem em cruzar as pernas. Ah, mas e o respeito aos torcedores, o risco de punições graves? Pelo que sabemos, não foi uma atitude tomada da noite para o dia na mesa de um boteco. Foram várias tentativas em vão dos atletas para solucionar o problema. Críticas só são justas para os responsáveis por administrar o clube.

Leia o blog do Perrone.

Renata Mendonça: "É um direito garantido a eles por lei"

Sim. É um direito garantido a eles por lei e, mais do que isso, é uma atitude importante contra a frequente irresponsabilidade de clubes que fazem contratos milionários e depois não conseguem arcar com eles. Mais importante ainda foi o fato de eles terem conseguido fazer isso juntos. Em uma classe tão desunida como a dos jogadores de futebol, é significativo ver todos os atletas do time unidos nesse protesto pela falta de pagamento (que não afeta só os atletas, mas também outros funcionários do clube).

Leia o blog Dibradoras.

Mais Esporte