Topo

Cruzeiro vira em Itaquera, sai do Z4 e aumenta pressão no Corinthians

do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/10/2019 20h54

Resumo da notícia

  • Cruzeiro vence a primeira como visitante pelo Brasileirão
  • Em péssima fase, Corinthians perde a primeira em casa
  • 2º gol cruzeirense foi polêmico devido a ação de bandeirinha
  • Cruzeiro tenta sair do Z4; Corinthians já vê até G6 sob risco

O Cruzeiro venceu o Corinthians de virada, por 2 a 1, na noite de hoje (19), na Arena, em Itaquera, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram anotados por Fagner, pelo Timão, e Fred e Éderson, pela Raposa.

Com a vitória, o Cruzeiro enfim sai da zona de rebaixamento — onde estava desde o fim da 19ª rodada. A equipe celeste vai a 28 pontos, ultrapassa CSA e Ceará e, ao menos provisoriamente, salta para a 16ª posição. Foi o segundo triunfo seguido dos comandados de Abel Braga, que já haviam vencido o São Paulo quarta passada. CSA e Ceará, porém, ainda jogam neste domingo, com apenas dois pontos a menos.

O Corinthians, por sua vez, até mantém a quarta posição, mas pode terminar a rodada fora até mesmo do G6. São Paulo, Internacional e Bahia ainda jogam e podem todos ultrapassar o time alvinegro. O clima é de pressão sobre Fábio Carille numa equipe que já soma seu quinto jogo consecutivo sem vitória.

Com a semana livre para treinar, Corinthians e Cruzeiro voltam a campo no sábado que vem pela 28ª rodada do Brasileirão. O Timão terá clássico contra o Santos às 17h, novamente na Arena. A Raposa receberá o Fortaleza, às 21h no Mineirão, naquele que será o reencontro precoce do técnico Rogério Ceni com equipe e torcida celestes.

Gol 11 mil é de Fagner

É histórico para o Corinthians o gol de Fagner que inaugurou o marcador no jogo de hoje. O lateral direito fez o tento de número 11 mil da história alvinegra. Terceiro jogador do atual elenco que está há mais tempo no clube (atrás só de Cássio e Walter), ele curiosamente não balançava as redes desde 2016.

Sem chance para o VAR

O árbitro Bruno Arleu de Araujo não deu nem chance para consultar o VAR num lance discutível aos seis minutos do segundo tempo. Ele enxergou falta de Marllon em Fred enquanto a bola era cruzada para Mateus Vital. A jogada foi paralisada antes da finalização do meia corintiano, que chegou a balançar as redes quando já não valia mais nada.

Sálvio Spínola, ex-árbitro e hoje comentarista, afirmou durante transmissão do canal Premiere que não enxergou falta de Marllon em Fred.

Sem chance para o VAR (parte 2)

Fagner disputou bola no meio de campo e acabou, na dividida, lançando o cruzeirense Éderson ao ataque. O bandeirinha chegou a levantar seu instrumento de trabalho, mas seguiu correndo em direção à linha de fundo. O zagueiro Marllon freou a corrida. O volante celeste seguiu na jogada, driblou Walter e fez o gol.

Os corintianos se revoltaram, Fábio Carille foi expulso por reclamação, mas o árbitro defendeu sua decisão de não ter apitado e portanto o lance jamais ter sido paralisado. Novamente não houve consulta ao monitor. Comentarista de arbitragem do esporte da Globo, Salvio Spínola afirmou que o gol cruzeirense foi legal.

Os melhores

Fagner foi o melhor corintiano em campo — e assim seria independentemente de ter feito gol. Cumpriu muito bem sua função defensiva e apoiou o ataque como há muito tempo não fazia, inclusive ajudando muito mais na construção de jogadas ofensivas do que os armadores alvinegros.

Marquinhos Gabriel não fez valer a "lei do ex" porque não marcou gol, mas foi o principal nome do ataque cruzeirense, tendo inclusive participado diretamente do lance que resultou no pênalti do gol de empate celeste. O meia foi válvula de escape para as jogadas laterais dos comandados de Abel Braga.

Os piores

Escalado como segundo volante ao lado de Ralf quando o Corinthians se defende e como segundo armador ao lado de Vital quando a equipe ataca, Sornoza foi mal em ambas as funções. Cometeu falta boba e perigosa num lance em que precisava cobrir a defesa. Ofensivamente, foi nulo na construção de jogadas.

Do lado cruzeirense, o destaque negativo ficou por conta da jovem dupla de zaga formada por Fabrício Bruno e Cacá — este último precisou entrar por conta de lesão de Dedé ainda no início do jogo. O Corinthians explorou a insegurança dos beques e construiu suas principais jogadas de ataque procurando atacantes que estavam na área.

Sem novidade: Corinthians previsível

O Corinthians jogou mal como vem fazendo há um bom tempo. A equipe de Carille marcou baixo, chamando para seu campo o Cruzeiro. Ofensivamente, foi previsível ao apostar em cruzamentos que quase sempre acabavam em tentativas de ligar Gustavo ou ainda em chutes de fora da área.

Cruzeiro aposta em triangulações e "come pelas beiradas"

O Cruzeiro lutou o jogo todo pela posse de bola. E foi assim que construiu sua virada. Castigado porque a defesa de fato bateu muita cabeça ao longo da partida, soube aproveitar a "blitz" que fez em boa parte do duelo no campo de ataque.

A equipe de Abel Braga explorou bastante as triangulações com três os homens de frente, nas tramas de Thiago Neves, Marquinhos Gabriel, Robinho e Fred. Também chamou atenção as eficientes subidas pelos lados do campo.

Cronologia do jogo

Em sua primeira chance real de gol no jogo, o Corinthians abriu o placar aos 33 minutos. Danilo Avelar cruzou para Gustavo — nesta que foi uma das poucas e mais previsíveis jogadas ofensivas do Timão na noite —, e o camisa 19 errou o cabeceio ao dividir pelo alto com Fabrício Bruno. A sobra, porém, caiu nos pés de Fagner, que soltou a bomba de direita (e de primeira) para estufar as redes de Fábio e abrir o placar.

No minuto seguinte, o Cruzeiro atacou tentando acionar Marquinhos Gabriel pelo alto. O ex-corintiano venceu disputa aérea com Bruno Méndez e cabeceou em direção ao gol. A bola então explodiu na mão do zagueiro. Acionado pelo VAR, o árbitro rapidamente consultou o monitor para confirmar a penalidade. Na cobrança, Fred bateu forte e acertou o cantinho esquerdo de Walter, que não chegou perto de defender mesmo pulando para o lado certo.

Aos 25 minutos do segundo tempo, Éderson aproveitaria lance curioso para dar números finais à partida. Após bola dividida no meio de campo e com último toque do corintiano Fagner, o volante do Cruzeiro partiu sozinho em disparada, driblou Walter e marcou o gol da virada. A zaga alvinegra pareceu ter confiado no bandeirinha, que chegou a levantar seu instrumento de trabalho.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 2 CRUZEIRO

Data: 19 de outubro de 2019 (sábado)
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos RJ)
VAR: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Público/Renda: 31.882 pagantes / R$ 1.529.296,10
Cartões amarelos: Bruno Méndez e Fábio Carille (Corinthians); Éderson (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Fábio Carille (Corinthians)

Gols: Fagner, aos 33', e Fred, aos 37' do primeiro tempo; Éderson, aos 25' do segundo tempo

Corinthians: Walter; Fagner, Bruno Méndez, Marllon e Danilo Avelar; Ralf; Pedrinho (Clayson), Sornoza (Jadson), Mateus Vital (Vagner Love) e Janderson; Gustagol. Técnico: Fábio Carille.

Cruzeiro: Fábio; Orejuela, Dedé (Cacá), Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Éderson; Robinho (Ariel Cabral), Thiago Neves, Marquinhos Gabriel; Fred (Joel). Técnico: Abel Braga.

Esporte