Topo

Procura-se: Cruzeiro ainda não entendeu como substituir Arrascaeta

Faixa esquerda do Cruzeiro não teve mais um único dono desde a saída do uruguaio para o Flamengo - Pedro Vale/AGIF
Faixa esquerda do Cruzeiro não teve mais um único dono desde a saída do uruguaio para o Flamengo Imagem: Pedro Vale/AGIF
do UOL

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

20/09/2019 04h00

A tarde deste sábado marcará o reencontro de Arrascaeta com a torcida do Cruzeiro no Mineirão. Negociado em janeiro deste ano, o uruguaio conseguiu mostrar bom futebol também no Flamengo e vem em ótima fase com o líder do Brasileirão, formando um ataque de peso ao lado de Éverton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol. Mas a lacuna que o meia deixou no Cruzeiro ainda não foi devidamente preenchida. Desde sua saída, a Raposa encontrou dificuldades para encaixar um nome para se firmar de vez no lado esquerdo do campo.

Semanas depois de negociar Arrascaeta, o Cruzeiro repatriou Rodriguinho. Apesar de a contratação ter contado com parte da venda do uruguaio, as características do meia não são tão parecidas com a de Arrascaeta, mesmo que Mano Menezes, técnico na ocasião, olhasse com bons olhos a possibilidade de colocá-lo ao lado de Thiago Neves. Jogando centralizado, Rodriguinho começou voando durante o estadual, mas caiu de produção com o início do Brasileiro até sair de cena por causa de uma lesão na região lombar.

Dois outros nomes eram vistos como postulantes à vaga deixada por Arrascaeta. O primeiro foi Marquinhos Gabriel, contratado pouco mais de uma semana depois da saída do uruguaio. A outra opção foi o garoto David, apontado como substituto ideal devido à pouca idade, velocidade, habilidade e região de atuação no campo. Hoje, tanto Marquinhos quanto David brigam pela titularidade, mas a alta rotação no setor é um sinal claro que ninguém conseguir virar o dono da posição.

Em abril, foi a vez de Pedro Rocha desembarcar em Belo Horizonte. Em pouco tempo, ele mostrou ser a solução perfeita no time. Além de boas atuações, foi decisivo no título mineiro e em classificações importantes na Copa do Brasil. Mas a má fase de Fred abriu espaço para o Pedro sair da ponta e ser deslocado para grande área, atuando como falso 9. Recentemente, Pedro caiu de produção junto com o time e já não tem mais lugar tão garantido, seja pelo lado esquerdo ou como centroavante. Com Rogério Ceni, já chegou até a começar partidas no banco de reservas.

Por último, chegou a mais nova aposta de Ceni no Cruzeiro. Pedido pelo treinador, o garoto Ezequiel, de 21 anos, deixou a Série B, onde atuava pelo Sport, e veio para Minas Gerais. Veloz e habilidoso, ele virou mais uma opção para o lado do campo, mas ainda não foi muito testado. Contratado no final de agosto, Ezequiel teve cerca de 30 minutos na goleada de 4 a 1 sofrida para o Grêmio, na rodada retrasada.

Em todos os treinamentos da semana, Rogério Ceni liberou apenas o aquecimento dos jogadores, fechando os portões e escondendo o time que pegará o Flamengo. Se repetir a equipe que jogou contra o Palmeiras, na última rodada, Pedro Rocha será o eleito para ocupar a faixa esquerda do ataque. Caso Thiago Neves recupere seu posto no time titular, Marquinhos Gabriel ou David podem perder uma vaga na equipe.

Mais Esporte