PUBLICIDADE
Topo

Conflito de interesse e ligação com Ituano: CBF analisa situação de Juninho

Juninho (d) posa com presidente Rogério Caboclo (c) ao assumir cargo de coordenador da seleção, substituindo Edu Gaspar (e) - Lucas Figueiredo/CBF
Juninho (d) posa com presidente Rogério Caboclo (c) ao assumir cargo de coordenador da seleção, substituindo Edu Gaspar (e) Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
do UOL

Danilo Lavieri, Pedro Ivo Almeida, Pedro Lopes e Rodrigo Mattos

Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

18/02/2020 00h26

A CBF analisa a situação do coordenador da seleção brasileira, Juninho Paulista, após a revelação de que ele manteve vínculo com o Ituano ao mesmo tempo que ocupou cargos na diretoria da confederação.

A informação foi divulgada pela "Agência Sportlight", que mostrou documentos comprovando a relação do dirigente com o clube. O UOL Esporte confirmou todos os dados da reportagem assinada pelo jornalista Lúcio de Castro.

Juninho chegou à CBF em abril de 2019 como diretor de desenvolvimento para, meses mais tarde, assumir o cargo no departamento de seleções. Ao ocupar os cargos, alegou ter se desligado do ituano, clube que dirigiu o departamento de futebol anteriormente por meio de sua empresa.

A "Agência Sportlight", no entanto, mostrou que Juninho se desligou da sua empresa, a "JP Gerenciamento de Futebol", em novembro de 2019, mas se manteve como usufrutuário da companhia. Desta forma, ainda podia se beneficiar de ganhos da empresa. A empresa é sócia da "Dimache Participações" e ambas fazem a administração do futebol do Ituano.

Com essa participação societária, Juninho poderá, por exemplo, ganhar com uma possível venda de Gabriel Martinelli, do Arsenal, pois o Ituano tem direitos sobre o mecanismo de solidariedade do jogador. Juninho está na Inglaterra justamente para convencê-lo justamente a servir a seleção.

Defesa e moral com a diretoria da CBF

Enquanto a CBF enviou uma nota ao UOL Esporte para comentar o caso e informar que analisa o caso, Juninho e Ituano se mantiveram calados. Internamente, porém, o diretor se defende e tenta explicar cada passo de sua situação junto à "JP Gerenciamento de Futebol".

Num primeiro momento, o ex-jogador citou a interlocutores que a demora para resolver certas burocracias de uma empresa com mais de dez anos de funcionamento impediu o desligamento total tão logo assumiu um cargo na CBF e reforçou que fará isso o quanto antes. A cúpula da entidade avalia.

O UOL Esporte ainda apurou que Juninho goza de prestígio com a diretoria da confederação. A ideia inicial nos corredores da sede da CBF é pela manutenção do ex-jogador à frente da seleção.

Confira a íntegra da nota da CBF enviada ao UOL Esporte:

"A Confederação Brasileira de Futebol tomou conhecimento do caso e irá analisar internamente a situação. O coordenador da Seleção Brasileira, Juninho Paulista, comunicou à CBF que já protocolou seu desligamento completo da empresa a qual já havia deixado de ser administrador e sócio."

Esporte