PUBLICIDADE
Topo

Seleção tem volta de artilheiro poliglota que virou xodó do Red Bull alemão

Matheus Cunha, artilheiro da Era Jardine na seleção sub-23 - Lucas Figueiredo/CBF
Matheus Cunha, artilheiro da Era Jardine na seleção sub-23 Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
do UOL

Danilo Lavieri

Do UOL, em Armênia (Colômbia)

22/01/2020 04h00

Cortado em cima da hora após sentir mal-estar na véspera da estreia, Matheus Cunha vai poder fazer seu primeiro jogo no Pré-Olímpico hoje, às 22h30 (de Brasília), contra o Uruguai. Artilheiro da era Jardine com nove gols em 11 partidas, o atacante também é destaque na seleção brasileira sub-23 fora de campo.

O atleta de 20 anos é um dos poucos entre todos os convocados que é poliglota. Contratado pelo RB Leipzig, da Alemanha, na temporada de 2018/19, ele sabe falar quatro línguas além do português: espanhol, italiano, alemão e inglês. Por exemplo: abordado pelos repórteres colombianos na saída da vitória por 1 a 0 contra o Peru, mesmo sem ter jogado, respondeu a todas as perguntas na língua nativa do país e recebeu elogios.

Pouco conhecido do público brasileiro, Matheus saiu direto da base do Coritiba para a Suíça, em 2017. No ano seguinte, já se transferiu para o RB Leipizig, que, a exemplo do Bragantino, é bancado pela Red Bull. Na temporada passada, ele fez oito gols em 39 jogos pelo terceiro colocado da Bundesliga.

Se alguém pensava no jovem atacante apenas como moeda de troca, se enganou. Seguiu no elenco que hoje lidera a liga alemã, com quatro pontos de vantagem para o poderoso Bayern. O lateral esquerdo Luan Cândido, por exemplo, foi contratado do Palmeiras, mas não conseguiu se firmar e foi emprestado de volta ao Bragantino para tentar ter mais chances de ir a campo.

E pensar que o paraibano de João Pessoa chegou a ser deixado de lado pelo seu ex-empresário até ser redescoberto e conseguir destaque na Europa. Para Jardine, é peça fundamental na busca pela vaga em Tóquio-2020. Ele é constantemente elogiado pelo treinador. No último treino antes do jogo desta quarta-feira, foi destaque nas finalizações.

"A gente ganha o artilheiro da equipe, alguém que se sente muito bem com a camisa da seleção, que está decisivo, sim, e tem potência acima da média. Isso impõe respeito aos adversários, ainda mais no ataque, porque qualquer vacilo que dão ele dificilmente perde um gol. É um jogador oportunista e temos o peso de um titular e um dos principais jogadores voltando para o jogo", disse o comandante na terça.

Matheus volta para ocupar o lugar que foi de Yuri Alberto, do Santos, um dos piores em campo na estreia. Além disso, o Jardine admitiu que pode fazer outras mudanças. Reinier e Pepê são os dois mais comentados entre membros da comissão técnica.

FICHA TÉCNICA
BRASIL X URUGUAI

Data: 22 de janeiro de 2020, quart-afeira
Horário: 22h30 (de Brasília)
Local: Estádio Hernán Ramírez Villegas, em Pereira, na Colômbia
Árbitro: Facundo Tello (Argentina)
Assistentes: Júlio Fernandez e Cristian Navarro

BRASIL: Ivan; Guga, Bambu, Nino e Caio Henrique; Bruno Guimarães, Matheus Henrique e Pedrinho; Antony, Paulinho e Matheus Cunha
Técnico: André Jardine

URUGUAI: Ignacio de Arruabarrena; José Luis Rodríguez, Santiago Bueno, Sebastián Cáceres, Maximiliano Aráujo, Facundo Waller, Nicolás Acevedo, Carlos Benavídez, Joaquín Piquerez, Diego Rossi, Juan Ignacio Ramírez
Técnico: Gustavo Ferreyra

Esporte