Topo

Mancini sonha com Atlético na Libertadores e reclama de pênalti não marcado

Treinador questionou lances parecidos na partida contra o Fluminense e no clássico com o Cruzeiro - Bruno Cantini / Atlético
Treinador questionou lances parecidos na partida contra o Fluminense e no clássico com o Cruzeiro Imagem: Bruno Cantini / Atlético
do UOL

Do UOL, em Belo Horizonte

16/11/2019 22h15

Resumo da notícia

  • Atlético empatou em 1 a 1 com o Fluminense, em jogo válido pela 33ª rodada do Brasileirão
  • Galo saiu atrás em gol contra marcado por Patric, mas empatou no fim do jogo com Di Santo
  • Com 41 pontos, Mancini acredita em vaga na Libertadores; sexto colocado tem nove pontos a mais
  • Treinador alvinegro ainda reclamou de um toque de mão dentro da área e da não checagem do VAR

Na noite deste sábado, o Atlético-MG empatou em 1 a 1 com o Fluminense, em jogo válido pela 33ª rodada do Brasileirão. O resultado deixou o Galo com 41 pontos na tabela, nove pontos atrás do Athletico, que inicia a rodada no G-6. Apesar da distância, o técnico Vagner Mancini voltou a falar da possibilidade de lutar por uma vaga na Libertadores.

"Eu ainda penso nisso todos os dias, ainda acho possível. Acho que com mais uma vitória a gente alcança a meta de se livrar do risco (de rebaixamento). Mas ainda faltam 15 pontos, isso nos dá chance de sonhar. Temos que passar aos atletas o máximo de empenho possível, é uma meta difícil, mas eu vejo o Atlético brigando muito em campo, jogando um futebol de quem quer vencer. Acho que o torcedor fica satisfeito quando vê o time se entregando. O que foi visto hoje e em outros jogos, acho que a torcida também tem que lotar o Mineirão no domingo, a partida é importantíssima para essas duas metas. Conto com o apoio do torcedor, ele está vendo que o time não se entrega", disse o treinador, já projetando a partida justamente contra o Athletico, no domingo, dia 24.

Questionado sobre o jogo, Mancini disse ter visto dois tempos distintos do Galo, uma etapa final ruim e um segundo tempo melhor, até com chance de virar a partida no final do jogo. Mas Mancini também reclamou de um pênalti pedido pelos atleticanos por causa de um toque na mão pouco antes do gol de empate. O técnico ainda citou um lance parecido no clássico contra o Cruzeiro, ocasião em que o VAR também era comandado pelo árbitro Daniel Nobre Bins.

"A única ressalva que eu faço é que esse é o segundo jogo que temos um lance de pênalti. A bola bate na mão de um atleta, assim como foi no jogo do Cruzeiro, com o mesmo árbitro do VAR, mas os lances não foram checados. Gostaria de saber porque não foram. A partir do momento que você tem o recurso, porque não checar? O que atrapalharia o jogo? Eu vi o lance no vestiário. Os dois lances, do clássico e no jogo de hoje, a bola bate na mão com o braço aberto. Estamos de olho, é o segundo jogo seguido, com o mesmo árbitro e não tivemos verificação do lance", disse.

Esporte