Topo

Fenômeno que impediu pouso do Palmeiras causou morte e incêndios em Mendoza

Casa destruída após queda de uma árvore em Mendoza pelos fortes ventos do fenômeno Zonda - Marcelo Aguilar / La Nación / Reprodução
Casa destruída após queda de uma árvore em Mendoza pelos fortes ventos do fenômeno Zonda Imagem: Marcelo Aguilar / La Nación / Reprodução
do UOL

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

23/07/2019 04h00

O susto vivido pela delegação do Palmeiras no domingo, quando o voo fretado que saiu de Fortaleza não conseguiu pousar em Mendoza por causa dos fortes ventos e precisou arremeter duas vezes, foi causado por um fenômeno que tem causado destruição na Argentina. O Zonda, como é conhecido, é característico da região e foi responsável por incêndios e pelo menos uma morte nos últimos dias.

De acordo com o jornal Clarín, a vítima foi uma mulher de 43 anos que vivia na zona oeste da cidade de Godoy Cruz, que fica na província de Mendoza e é vizinha à cidade de mesmo nome. Ela foi esmagada após uma árvore ser derrubada por ventos de mais de 70 km/h e cair em cima de sua casa. A ventania também derrubou fios elétricos que causaram falta de luz e incêndios em áreas de até 2 mil hectares, segundo o La Nación.

O Zonda é um vento seco e quente que é mais comumente sentido nas províncias de San Juan, Mendoza e La Rioja. Ele tem origem no Oceano Pacífico como um ar frio e úmido, mas esquenta rapidamente ao descer pela Cordilheira dos Andes e entrar no território argentino, muitas vezes carregando grande quantidade de poeira e atingindo temperaturas de até 40ºC. Sua incidência maior é entre os meses de maio e agosto.

Os vendavais causados pelo fenômeno não apenas cancelaram o pouso do Palmeiras, mas também impediram aterrissagens e decolagens do aeroporto de Mendoza durante quase todo o domingo. A delegação alviverde precisou pousar em Buenos Aires e passar a noite na capital argentina, perdendo um dia de programação. Muitos jogadores passaram mal dentro do avião durante a tentativa frustrada de pouso em Mendoza, descrita pelo diretor de futebol Alexandre Mattos como um "filme de terror".

O Palmeiras chegou apenas ontem à tarde na cidade do jogo contra o Godoy Cruz, pelas oitavas de final da Libertadores. O time fez um único treinamento em Mendoza e focou no descanso dos jogadores, que viveram momentos de muita tensão na aeronave. A bola rola a partir das 21h30 de hoje, no estádio Malvinas Argentinas.

Mais Esporte