PUBLICIDADE
Topo

De herói em Lima a contestado em Quito, Diego volta a chamar atenção no Fla

Diego conduz a bola no empate entre Flamengo e Independiente del Valle - Alexandre Vidal/Flamengo
Diego conduz a bola no empate entre Flamengo e Independiente del Valle Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo
do UOL

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

21/02/2020 04h00

Contratado com o status do sonhado camisa 10 pela torcida do Flamengo, o meia Diego coleciona conquistas na mesma medida que gera discussões entre os torcedores. Alçado ao patamar de herói após lançar a bola que resultou no gol da virada que garantiu o título da Libertadores, o meia volta a ser questionado em um curto espaço de tempo.

Escolhido por Jorge Jesus para entrar na equipe no empate por 2 a 2 diante do Independiente del Valle, em Quito, Diego não cumpriu as expectativas e foi substituído no intervalo do jogo em Quito. Sem conseguir imprimir a cadência imaginada, foi para o banco e viu a equipe ser mais efetiva após a entrada de Vitinho. O suficiente para o capitão inflamar a discussão entre os rubro-negros e parar nos trending topics.

"Precisava de um jogador que fizesse a saída. Fiz as substituições e mantive minha ideia a respeito de jogo. É uma equipe que tem uma transição muito rápida. Por isso, coloquei o Diego. É uma final com dois jogos e temos a certeza que no Maracanã vamos estar muito melhores", justificou o Mister.

Os debates acerca de seu futebol já são encarados com certa naturalidade por Diego, que soma cinco troféus com a camisa vermelha e preta. A oscilação do humor da arquibancada, no entanto, chama a atenção.

No ano passado, o jogador teve fratura no tornozelo e acelerou sua recuperação para não perder o melhor da festa, tempo suficiente para fazer o lançamento na final da Libertadores contra o River que mudaria a história do clube e para levantar a taça do Brasileiro. 88 dias após a consagração, a desconfiança de parte dos torcedores voltou. Nada que seja novidade.

Diego, jogador do Flamengo, ergue a taça da Libertadores - Daniel Apuy/Getty Images
Diego, jogador do Flamengo, ergue a taça da Libertadores
Imagem: Daniel Apuy/Getty Images

Identificado com o clube, o atleta teve possibilidades reais de deixar a Gávea, mas não quis abrir mão de tentar alcançar feitos importantes pelo Rubro-Negro. Com contrato até dezembro de 2020, é uma das grandes lideranças do vestiário. Entre tapas, beijos e troféus, ele vestiu o "manto sagrado" 165 vezes e marcou 37 gols.

Diego, do Flamengo, posa com taças conquistadas - Reprodução/Instagram
Diego, do Flamengo, posa com taças conquistadas
Imagem: Reprodução/Instagram

Boavista no meio do caminho

Após vencer a Supercopa do Brasil e disputar o jogo de ida da Recopa, o Flamengo desembarcou ontem (20) no Rio de Janeiro. Com pouco tempo de descanso, a equipe ganhou um dia de folga e retoma hoje (21) os trabalhos. Amanhã (22), os rubro-negros encaram mais uma decisão no corrido calendário. Às 18h, no Maracanã, o time enfrenta o Boavista, pela final da Taça Guanabara.

Apesar do caráter decisivo do jogo, a prioridade total no clube no momento é o duelo diante dos equatorianos, quarta-feira (26), 21h30, também no Maracanã.

Esporte