Topo

Sem dinheiro, refeição e água: ônibus de patrocinadora do Fla vira drama

do UOL

Alexandre Araújo e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

22/11/2019 20h33

O ônibus que ficou para trás na excursão da Buser a caminho da final da Libertadores, entre Flamengo e River Plate (ARG), teve novos problemas ao chegar no Peru, segundo relato de torcedores presentes no veículo. O duelo acontece amanhã (23), em Lima, no Estádio Monumental, que pertence ao Universitario.

De acordo com Tarcísio Torres, quando o ônibus chegou ao país onde acontecerá a decisão, o motorista não tinha dinheiro para o reabastecimento e pedágio, taxas que acabaram sendo custeadas pelos rubro-negros.

Além disso, o ônibus se perdeu no caminho, imprevisto que teria sido causado pelo fato de o responsável pelo planejamento do caminho estar em um dos veículos da Buser que foram à frente.

Há ainda falta de água no banheiro, água mineral "cotada" e a questão da alimentação. Desde que o ônibus "desgarrou" e está por conta própria não há parada para a alimentação adequada, algo que era promessa da empresa.

"O motorista, quando chegou ao Peru, estava sem dinheiro. Pediu para pagar o pedágio. Um dos passageiros pagou a gasolina no cartão. Nos perdemos e fomos parar em uma espécie de favela aqui no Peru. O motorista tem um mapa feito a caneta e foi um dos passageiros que mostrou o caminho no GPS do próprio celular, usando o wi-fi de um posto. Os motoristas não sabiam [o caminho]. A água do nosso banheiro acabou. Motorista proibiu de pegar mais água pois estava "contado para a volta", segundo eles. Fizemos três refeições desde segunda-feira. O resto foi comida que compramos no posto de gasolina e biscoito que trouxemos A Buser parou de se pronunciar", disse Tarcisio, ao UOL Esporte.

Procurada pelo UOL Esporte, a Buser informou "sobre a questão de pedágios e abastecimento, a startup afirma que irá averiguar a situação e que tomará as medidas cabíveis". A empresa afirmou ainda que, em cada veículo, há "uma equipe de motoristas que são responsáveis para a realização do trajeto e manutenção" e que "motoristas receberam da plataforma o plano de viagem que precisariam seguir".

O ônibus foi deixado para trás após a caravana passar a fronteira entre Brasil e Argentina. Na ocasião, houve um problema com dois passageiros e o veículo teve de passar por uma revista, mas os outros ônibus seguiram a rota normalmente.

Õnibus da Buser que fizeram o trajeto Rio-Lima; o veículo preto e branco foi deixado para trás - Arquivo Pessoal
Õnibus da Buser que fizeram o trajeto Rio-Lima; o veículo preto e branco foi deixado para trás
Imagem: Arquivo Pessoal

"Na fronteira com a Argentina, tivemos um problema com duas pessoas, que ficaram lá. A Buser está com dois ônibus que têm as promoções e os convidados, e o nosso, que nós pagamos. Esses dois foram liberados na fronteira e foram embora. O nosso teve de ser revistado e passar por um raio-x. Demorou umas três horas. Os dois ônibus foram embora e era para os três [ônibus] estarem juntos. Estamos, agora, por conta dos pilotos. A Buser não nos deu suporte algum", apontou Tarcisio, em matéria publicada pelo UOL Esporte ontem (21).

Veja a nota na íntegra:

"A Buser informa que desde o início da divulgação das ações promocionais, nunca, em momento algum, informou que a viagem com destino à Lima, no Peru, seria realizada em caravana com os ônibus fretados por meio da plataforma. Outro ponto importante a se destacar é sobre a qualidade de todos os veículos disponibilizados para esta viagem. Em ônibus leito, os buseiros estão recebendo atenção e suporte necessário durante todo o trajeto, além do monitoramento digital 24h, feito pela equipe da plataforma.

Nas viagens realizadas pelas empresas parceiras da Buser, inclusive nesta para Lima, cada veículo possui uma equipe de motoristas que são responsáveis para a realização do trajeto e manutenção do veículo. Sobre a questão de pedágios e abastecimento, a startup afirma que irá averiguar a situação e que tomará as medidas cabíveis. Porém, ressalta que a responsabilidade para tais ações é da empresa parceira que realiza a viagem.

Além disso, a Buser informa que todos os motoristas receberam da plataforma o plano de viagem que precisariam seguir para chegar ao destino final no tempo estipulado pela empresa.

A Buser explica ainda que o passageiro que precisou de atendimento médico, recebeu todo o suporte e atenção não apenas no posto médico onde foi atendido, mas também da plataforma que disponibiliza dois seguros viagem. Porém, isso ocasionou um pequeno atraso deste veículo em que este passageiro se encontrava e precisou ficar por algum tempo parado enquanto ele recebia o atendimento médico. Para a plataforma o que importa é a segurança de cada buseiro que pegou a estrada para realizar o sonho de assistir a final da Libertadores 2019.

A plataforma informa que todos os ônibus chegarão ainda hoje em Lima, de acordo com a nova previsão feita nesta manhã. Por motivos de segurança, a Buser não divulgará o novo horário e nem local de desembarque.

Mesmo com dias de estrada, o clima entre os passageiros segue sem anormalidades, de acordo com informações repassadas diariamente pelos seguranças alocados dentro de cada veículo e que são parte da equipe operacional da plataforma, designada especificamente para este trajeto.

A Buser explica ainda que realizou duas ações promocionais em suas redes sociais. Com a ação, #JogaremosJuntosnoPeru, a Buser ofereceu transporte até Lima para os torcedores que já tinham garantido o seu ingresso. O custo da viagem seria no valor de apenas R$ 10. Na segunda ação, #SortudosBuser, a plataforma sorteou no seu Instagram quatro combos, que incluíam transporte, seguro-viagem, estadia, ingressos e direito a um acompanhante. Além disso, disponibilizou o frete de ônibus para torcedores que já estariam com o ingresso em mãos e buscavam uma viagem mais barata, porém, segura.

Por fim, a plataforma solicita que após o término da viagem, os torcedores que se sentirem lesados podem solicitar a devolução do valor.

Buser Brasil"

Esporte