Topo

Participativo, mas sem decidir, David completa 8 meses de seca no Cruzeiro

Atacante não se omite em campo, mas é cobrado por não estar conseguindo executar bem as jogadas - Bruno Haddad/Cruzeiro
Atacante não se omite em campo, mas é cobrado por não estar conseguindo executar bem as jogadas Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro
do UOL

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

21/11/2019 12h00

Resumo da notícia

  • David não se omite no ataque do Cruzeiro, mas peca na hora de definir as jogadas
  • Atual jejum de gols do atacante já ultrapassa oito meses e vem desde o estadual
  • Além do atacante, ataque do Cruzeiro também segue devendo com Fred, Thiago Neves e M. Gabriel
  • Apesar das críticas, tendência é que Abel Braga mantenha David entre os onze iniciais da Raposa

Nesse momento delicado que o Cruzeiro atravessa para fugir do rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o atacante David não é o único, mas é um dos jogadores mais criticados pela torcida. Aos 24 anos, ele vive uma situação inusitada dentro de campo. No apagado setor ofensivo de Abel Braga, o velocista é quem mais chama atenção ao não se omitir, buscar o jogo e participar das jogadas. Por outro lado, tem pecado na tomada de decisão, e já perdeu gols importantes que poderiam evitar o atual jejum de oito meses sem marcar.

No início do ano, David foi até cogitado como substituto ideal para suprir a saída de Arrascaeta. Veloz, habilidoso e caindo pelo lado esquerdo, o atacante ainda apresenta características parecidas que o uruguaio, mas não conseguiu colocar em prática com tanta frequência. Apesar de titular em 44 ocasiões, o jogador só marcou por três vezes, passando os últimos 40 jogos em branco.

Na última segunda-feira (18), David voltou a viver o mesmo cenário de partidas anteriores. Jogadores como Marquinhos Gabriel e Thiago Neves estiveram mais apagados que o jogador em campo, mas David não executou bem suas jogadas, e chegou a ser vaiado ainda no primeiro tempo.

"Isso incomoda bastante, depois do jogo me falaram que vaiaram ainda no primeiro tempo. Acho que prejudica bastante, na minha opinião durante o jogo é importante apoiar, nos ajuda. Mas a vaia coloca o time para baixo", comentou o jogador.

O último gol de David pelo Cruzeiro aconteceu em março. No dia 20, ele balançou as redes contra a Caldense, ainda na primeira fase do Campeonato Mineiro. Recentemente, completou 24 anos e ganhou o apoio dos companheiros para encerrar o jejum. Mas a má fase do ataque celeste não se resume só a ele, e David também a companhia de outros jogadores que também não estão conseguindo ajudar em campo, como Fred, principal referência dentro da grande área.

Com a falta de vitórias, a cobrança pela entrada de novos jogadores no time é maior. Mas a tendência é que Abel Braga não mexa muito no ataque do Cruzeiro para a partida contra o Santos, no sábado (23). Uma alternativa para os lados do campo seria a entrada de Pedro Rocha, que está suspenso. Outra opção é Ezequiel, que deve começar no banco.

Esporte