Topo

Para voltar a vencer no UFC, Sérgio Moraes confia em 'amuletos da sorte' de São Paulo

Neri Fung, em São Paulo (SP)

Ag. Fight

13/11/2019 10h07

Serginho Moraes mira vencer novamente no Ultimate em São Paulo - Neri Fung

Após duas derrotas seguidas, Sérgio Moraes já ligou o alerta no Ultimate. O brasileiro, que neste sábado (16), estará em ação no UFC São Paulo contra James Krause, tem em mente que mais um resultado negativo pode colocá-lo em situação delicada na organização. Entretanto, o faixa-preta de jiu-jitsu comemorou o fato de poder voltar a competir na sua cidade natal e palco de seu último triunfo pela franquia.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o ex-integrante do 'The Ultimate Fighter Brasil' foi consciente sobre seu atual momento no UFC e se mostrou incomodado por não vencer desde setembro de 2018 na liga. Mas brincou com o fato de lutar em São Paulo e a sorte que ele traz para sua carreira.

"A derrota sempre preocupa. Se é uma, meia, dez. Derrota é derrota. Nenhum atleta quer conviver com as derrotas. (Para essa luta) eu trouxe todos os meus amuletos de sorte (risos). É lutar em São Paulo, Fábio Gurgel (um dos seus treinadores na época de jiu-jitsu) estará aqui também. Tem muita coisa a meu favor", afirmou.

Com 37 anos, Sérgio já se encaixa numa antiga geração de lutadores que ainda se mantém ativo no UFC. Segundo o brasileiro, o segredo da longevidade em alto rendimento é, ao contrário do início de carreira, em que a quantidade de atividades o mantinha bem mais preparado, agora é saber dosar a medida correta de treinamentos.

"(O segredo é) se manter ativo, com uma cabeça aberta, uma boa alimentação. Esse é o grande segredo. Acho que se manter ativo é essencial. Nessa fase a gente começa a não ter muita quantidade, mas mais qualidade de treino. Acho que isso é um outro diferencial", explicou o faixa-preta de jiu-jitsu.

Oriundo do jiu-jitsu, Moraes já passou pela difícil fase de transição da arte suave para o MMA. Recentemente, grandes feras também seguiram o mesmo caminho, como Rodolfo Vieira e Kron Gracie. Para o paulista, esse momento deve-se, principalmente, para os atletas mirarem novos desafios.

"Isso é o natural né?! Eu vim um pouco mais cedo porque entendi que minha meta no jiu-jitsu já havia sido cumprida. Acho que isso é o natural. Quando eles entendem que têm que enfrentar novos desafios é automático se testar em novas modalidades", finalizou o brasileiro.

No UFC desde 2012, após participação no 'The Ultimate Fighter Brasil 1', Sérgio Moraes acumula oito vitórias, quatro derrotas e um empate na principal organização de MMA do mundo.

Esporte