Topo

Jayme elogia "DNA" do time de Jesus e vê Flamengo no ataque contra o Grêmio

Técnico Jayme de Almeida manda beijos em agradecimento à torcida do Flamengo após título da Copa do Brasil no Maracanã - Júlio César Guimarães/UOL
Técnico Jayme de Almeida manda beijos em agradecimento à torcida do Flamengo após título da Copa do Brasil no Maracanã Imagem: Júlio César Guimarães/UOL
do UOL

Leo Burlá

do UOL, no Rio de Janeiro

22/10/2019 12h00

Comandante rubro-negro no último título de expressão do Flamengo, a Copa do Brasil de 2013, o técnico Jayme de Almeida vê o clube próximo de transformar boas práticas de gestão em resultados de campo.

Quando liderou uma modesta equipe rumo ao caneco, ele presenciou de perto um Fla que mudava hábitos administrativos em nome da austeridade. Auxiliar rubro-negro, viu o cargo cair em seu colo após o pedido de demissão de Mano Menezes. Sem astros, mandou a campo um time que foi abraçado pela torcida, especialmente pelo espírito de luta.

Passados seis anos, Jayme entende que este Rubro-Negro alinhado ao que há de melhor em termos de governança se materializou na atual equipe. Ele cita Everton Ribeiro como o jogador de sua predileção, mas pontua que a chegada de Jorge Jesus resultou na liga definitiva com a arquibancada, que se identifica com o futebol praticado.

"O Flamengo está colhendo o que plantou com o [ex-presidente] Bandeira de Mello. Ele organizou o clube, depois vieram as contratações. Além do grupo forte, o Jorge Jesus armou um time do que jeito que a torcida gosta. Ele montou um Flamengo ofensivo, com o DNA do clube", disse ele ao UOL Esporte.

Jesus tem sido um dos responsáveis pelo bom momento do Flamengo - João Vitor Rezende Borba/Agif
Jesus tem sido um dos responsáveis pelo bom momento do Flamengo
Imagem: João Vitor Rezende Borba/Agif

Longe do dia a dia do clube desde março de 2018, quando foi atingido por uma onda de demissões que também respingou no diretor-executivo Rodrigo Caetano e no técnico Paulo César Carpegiani, Jayme tem se deliciado com as partidas do time. Cria da Gávea, ele vê o título brasileiro muito próximo, mas afirma que o mata-mata da Libertadores pode ser traiçoeiro.

De olho no confronto de amanhã (23) contra o Grêmio, às 21h30, no Maracanã, ele disse esperar um "jogo bonito". Apesar de um empate sem gols servir para os cariocas garantirem vaga na final, Jayme não crê em um comportamento reativo.

"O Flamengo tem um timaço, vai ser um jogo bacana. O time vai começar pressionando, vai atacar. É pressão o tempo inteiro no adversário. Com tanta qualidade, uma hora o gol sai. A vantagem é do Flamengo", completou.

Fla adota o mistério

O técnico Jorge Jesus fechou totalmente o treino de hoje (22), última atividade antes do "jogo do ano". O português terá mais uma chance para avaliar o estado físico de Rafinha e Arrascaeta. O lateral se recupera de fratura na face e está em fase de adaptação a um capacete. O uruguaio, que sofreu lesão no joelho, foi operado e luta para estar ao menos no banco de reservas.

Esporte