Topo

Com escassez no ataque, Botafogo recorre a revelações da sua base

do UOL

Lucas Sarti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/08/2019 04h00

Desde a pausa para a Copa América, o Botafogo entrou em campo oito vezes, conseguindo apenas duas vitórias. Além de corrigir falhas na defesa, o técnico Eduardo Barroca precisa dar atenção especial ao setor ofensivo. Nesses oito jogos, a equipe marcou somente seis gols, e Diego Souza e Luiz Fernando foram os únicos atacantes que balançaram as redes. Apesar da pouca minutagem, dois jovens da base botafoguense surgem como esperança para acabar com a escassez de gols dos atacantes da equipe.

Lucas Campos e Rhuan foram escolhidos por Barroca para atuarem no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Corinthians, ontem (17), pelo Campeonato Brasileiro. Lucas, de 21 anos, substituiu o também atacante Rodrigo Pimpão no intervalo. O veterano pouco produziu - também pela baixa criação do meio de campo - e escancarou os problemas ofensivos do Botafogo. Aos 24 minutos da etapa final, foi a vez de Rhuan entrar em campo no lugar do volante Gustavo Bochecha.

Os jovens deram, além de maior fôlego ao time, velocidade pelas pontas e toque de bola mais rápido, já que Pimpão - que não marca um gol desde março - viu-se envolvido pela forte marcação do Corinthians. Os atacantes só tiveram espaço no fim do jogo, com o time da casa cansado e em vantagem placar. Depois de um chute para fora, Lucas Campos foi à linha de fundo, passou como quis pelo lateral-esquerdo Carlos Augusto e pelo volante Gabriel e tocou para Diego Souza chutar firme, parando em defesa de Walter.

"Meninos entraram muito bem no jogo, um jogo que pedia mais individualidade. Lucas e Rhuan têm habilidade, finta, improviso", avaliou Barroca, em entrevista coletiva.

A melhora de rendimento do Botafogo com os jovens foi evidente, mas há de se levar em conta o ritmo do Corinthians, que já estava com o jogo controlado. Apesar disso, Rhuan e Lucas se credenciam como possíveis candidatos à titularidade na próxima partida. Nas redes sociais, torcedores já pedem a entrada dos atacantes.

Destaque nas categorias de base

Camisa 10 do time sub-20 do Botafogo, Rhuan, de 19 anos, era o principal nome da equipe e foi promovido ao time principal por necessidade. Erik, destaque do Alvinegro no ano, assinou com o Yokohama Marinos-JAP e deixou o clube carioca. Biro Biro, outra opção do ataque, segue afastado devido a um problema cardíaco. Na categoria, Rhuan costumava atuar pelos lados, tendo o drible curto e a cobrança de falta como principais características. Segundo o site "OGol", Rhuan participou de 26 jogos pela base em 2019, marcando 15 gols.

Novo xodó de Barroca, Lucas participou de três jogos desde a volta das competições após a pausa para a Copa América. Assim como contra o Corinthians, Lucas também fez "fumaça" na vitória sobre o Athletico-PR, na última semana. O jovem foi protagonista no lance do pênalti que garantiu o triunfo. Em 2019, o atacante foi emprestado ao Nova Iguaçu, do Rio de Janeiro, e Atlético Tubarão, de Santa Catarina. Possível opção para o ataque, já foi comandado por Barroca na base do Botafogo.

Mais Esporte