Topo

Isaquias revela desânimo, diz que Fla trouxe nervosismo e sonha com ouro

Vinicius Castro / UOL Esporte
Canoísta Isaquias Queiroz foi apresentado como reforço do Flamengo Imagem: Vinicius Castro / UOL Esporte
do UOL

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-02-05T16:13:22

05/02/2019 16h13

O Flamengo apresentou na tarde desta terça-feira (5) Isaquias Queiroz, dono de três medalhas olímpicas na canoagem. Contratado para ser o pilar do projeto náutico do clube, o principal atleta do país na atualidade foi recepcionado com um evento digno das grandes contratações recentes do Rubro-negro. Ele admitiu o nervosismo e revelou um desânimo recente com os treinamentos.

"Nunca tive uma recepção desse nível, coletiva para chegar em outro clube. Nunca vivi isso. Estava meio desanimado com os treinamentos recentemente. Já treinei bem hoje depois do anúncio e cheguei aqui nervoso. É mais uma história para contar da minha carreira. O meu Instagram lotou de flamenguistas em duas horas. Quero dar resultado e incentivar os mais jovens", afirmou.

Isaquias foi o grande nome do Brasil nos Jogos Olímpicos Rio-2016. O canoísta conquistou duas medalhas de prata (C-1 1000 e C-2 1000) e uma de bronze (C-1 200), feito alcançado pela primeira vez por uma atleta brasileiro em uma mesma edição dos jogos. O contrato com o Flamengo foi assinado até as Olimpíadas de Tóquio (2020), mas pode ser prorrogado até 2024.

"A Olimpíada do Rio foi um marco histórico. Todos me conhecem por ela. Treinei muito aqui na Lagoa e assim será novamente. É especial estar aqui. O meu objetivo é ganhar a 10ª medalha do Jesús Morlán (treinador, falecido em novembro do ano passado). Também quero tentar o ouro em Tóquio. Aprendi bastante com ele que medalhas são iguais aos filhos. Não escolhemos, aceitamos", disse.

O Flamengo fará um investimento de cerca de R$ 350 mil na canoagem por ano. Além de Isaquias, o clube se reforçou com Jacky Godmann, também da seleção brasileira, e Caio Ribeiro, medalhista paralímpico. 

Descontraído já na reta final da entrevista coletiva, Isaquias contou que a chegada ao Flamengo fez reviver uma paixão antiga.

"Na minha cidade todo mundo é Flamengo. Era assim na infância. Torci para o São Paulo depois, mas agora sou Flamengo ainda mais. Vou torcer pelo clube, discutir futebol. O Flamengo está ajudando e levantando o meu nome", encerrou.

Mais Esporte