PUBLICIDADE
Topo

Quarteto de reforços sofre com concorrência e aguarda brecha no Fluminense

Henrique iniciou a temporada como titular, mas perdeu espaço e hoje é reserva do Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF
Henrique iniciou a temporada como titular, mas perdeu espaço e hoje é reserva do Fluminense Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
do UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/03/2020 04h00

O Fluminense fez oito contratações no mercado da bola visando a montagem do elenco profissional. Quatro deles têm sofrido com a concorrência e aguardam uma brecha para mostrar potencial e, ao menos, entrar em uma rotatividade maior no time tricolor.

Alguns deles, inclusive, chegaram com status de titular, mas perderam a posição ao longo da temporada, que estava apenas começando antes da paralisação devido à pandemia do novo coronavírus. Evidentemente que eles podem melhorar o rendimento e se tornarem peças importantes para o esquema do treinador Odair Hellmann. A questão é que isso não aconteceu até o momento.

O UOL Esporte fez uma lista e tentou explicar o que acontece com o quarteto que sofre para ter oportunidades do Fluminense nesta temporada.

Henrique

Contrato junto ao Cruzeiro, o volante chegou com pompas de titular. De fato, foi o que aconteceu. O problema é que o técnico Odair Hellmann havia utilizado três jogadores de características defensivas e foi muito criticado. Com isso, Henrique foi justamente quem perdeu a vaga no time para a entrada de uma opção mais leve e que também chegasse ao ataque com maior facilidade.

Caio Paulista

Odair o conhece dos tempos de Internacional e aprovou sua contratação. O atacante, inclusive, iniciaria o ano como titular, mas sofreu uma lesão que o afastou dos gramados por um bom tempo. Quando voltou viu o setor ofensivo bem definido e sofre para ter uma oportunidade no time. A expectativa é que ganhe mais minutos durante a temporada.

Felippe Cardoso

Começou como titular na falta de opções para o ataque. Não agradou nas cinco partidas que disputou, sendo preterido até na ausência de atacantes, com Miguel e Nenê atuando improvisados, como "falso 9". Marcou uma única vez, na goleada sobre o Bangu. Aos 21 anos, pode ser aproveitado na equipe de aspirantes. A situação pode piorar já que o ídolo Fred deve ser reforço para a posição.

Michel Araújo

Contratação mais cara do Fluminense na janela de transferências (R$ 3,3 milhões por 50% dos direitos econômicos), Michel demorou um pouco a ser regularizado e contraiu uma virose em seus primeiros dias no Rio de Janeiro, por isso, também, teve poucas chances. O meia entrou em campo apenas três vezes: contra Boavista e Unión La Calera-CHI, tanto na ida como na partida de volta pela Copa Sul-Americana. Nos poucos minutos que atuou (70), agradou o técnico Odair Hellmann e aos torcedores, mas sentiu um pouco a diferença física entre o futebol uruguaio, onde se destacou pelo Racing-URU, e o Brasil. É tratado com cuidado no clube, que espera sua adaptação para utilizá-lo mais vezes pelo meio e pelas pontas.

Esporte