PUBLICIDADE
Topo

Flamengo minimiza sua pior derrota e "respira" Al-Hilal antes de definição

do UOL

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

09/12/2019 04h00

A goleada por 4 a 0 para o Santos não muda o destino do campeão Flamengo no Campeonato Brasileiro e parece não deixar sequer uma pulga atrás da orelha do torcedor às vésperas do embarque para o Mundial de Clubes. Com a justificativa da falta de concentração na disputa nacional, o Rubro-Negro tratou de minimizar o revés na Vila Belmiro, tática que tira o peso dos ombros do time antes do desafio final da temporada. Enquanto isso, a comissão técnica já pensa em um possível duelo com o Al-Hilal na semifinal do torneio continental.

Em 90 minutos de jogo, um desligado Rubro-negro foi aniquilado pelo Santos, que se impôs e demonstrou gana de vencer do primeiro ao último minuto. O discurso após o jogo, contudo, foi de total "resignação".

A pior derrota do ano foi tão "ignorada" que os jogadores, tão logo o jogo acabou, foram festejar as conquistas recentes com os torcedores que estavam na Baixada Santista.

"Não há mais nada a ganhar no campeonato nacional, isso ficou no subconsciente deles. Quando não é competitivo contra uma equipe, tem alguma dificuldade. O fato de não ser aquela equipe que normalmente é, é a razão de já ser campeão e estar no Mundial", afirmou o técnico Jorge Jesus.

Falando na disputa intercontinental, as atenções rubro-negras estão totalmente voltadas para a semifinal, e a equipe já projeta um duelo com o Al-Hilal (SAU). Embora os árabes ainda tenham de passar pelo Espérance (TUN) em uma fase preliminar, o time de Cuéllar já é tratado como o adversário do dia 17, data da estreia do Flamengo em Doha (QAT).

A certeza do Mister e de seu estafe que este duelo já está "definido" é tamanha que o português fala abertamente sobre o assunto e projeta as dificuldades contra o ex-clube:

"Vai ser uma semifinal muito disputada para os dois times, qualquer um dos dois tem possibilidades. Em termos de nome, história, poder pensar que uma equipe árabe não tem valor, mas não é verdade. Eu estive lá e sei os jogadores que estão na equipe. Apesar de o futebol brasileiro não ter comparação com o da Arábia Saudita, essa equipe é fora da curva no futebol de lá", afirmou.

Relaxados mesmo depois da goleada, os jogadores do Flamengo viverão seu dia de conquistas pessoais. Em dia de premiações do Bola de Prata e do Craque do Brasileirão, a tendência é que muitos deles somem novos troféus para suas coleções particulares. O elenco retoma os trabalhos quarta (11) e treina até o embarque para o Qatar.

Esporte