Topo

Velloso e Edílson batem boca em programa da Band: "Palmeiras não tem nada"

do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/11/2019 15h19Atualizada em 13/11/2019 17h33

Uma discussão sobre a situação financeira de Palmeiras e Corinthians agitou o Os Donos da Bola desta quarta-feira. Durante debate sobre o Corinthians, Edílson surpreendeu seus colegas de bancada ao afirmar que o alviverde, colocado como exemplo de gestão, sem o patrocinador, 'não tem nada'. Incomodado com a colocação do Capetinha, Velloso destacou que o Verdão não depende financeiramente da parceira.

"O Palmeiras não tem nada. Se o patrocinador sair do Palmeiras, o que o Palmeiras tem?", questionou Edílson

"Não acontece nada", respondeu Velloso.

Recordando as consequências do fim da parceria do Palmeiras com a Parmalat, nos anos 90, Edílson defendeu que o alviverde pode passar pela mesma situação caso a Crefisa deixe o clube. Já Velloso rebateu o colega diversas vezes, iniciando um bate-boca, que chegou a ser interrompido por Neto.

"Eu já vivi isso. A Parmalat estava no Palmeiras, quando a Parmalat saiu...", iniciou o Capetinha.

"Está errado o que ele está falando. O Palmeiras, hoje, não depende mais do patrocinador. O patrocinador é 20% da receita do Palmeiras. É diferente da história da Parmalat, quando o Palmeiras era mal presidido. Hoje, a história mudou. Hoje, o Palmeiras não depende do patrocinador", interrompeu o ex-goleiro.

"Mês passado estava com R$ 30 milhões de déficit", argumentou Neto.

"Teve déficit por causa de umas buchas lá de trás que estouraram agora. Mas o Palmeiras não depende do patrocinador como dependia na época da Parmalat", insistiu Velloso.

"Mas não vai ter déficit, sabe por quê? Se a patrocinadora paga tudo...", retrucou Edílson.

"Paga tudo o quê? A patrocinadora paga o patrocínio", questionou Velloso.

"Contratando o Borja...", disse o ex-atacante.

"Calma, não precisa gritar. Pera aí, vocês vão estourar o meu ouvido. Vocês vão estourar meu tímpano, é isso que vocês querem?", interveio o apresentador, sem sucesso.

"Mas é para esclarecer. Está errado", insistiu Velloso.

"Corrigir, não. O Palmeiras tem dinheiro para contratar...", recomeçou Edílson.

"Você não sabe o que está falando. Esquece a Parmalat, era outra gestão, presidente incompetente. A coisa mudou hoje", seguiu o ex-goleiro. "Se a Leila (Pereira) sair, o Palmeiras acha outro patrocinador".

"Edílson, o próprio Andrés falou que queria ter um patrocínio igual ao do Palmeiras", completou Rogério Assis, o Canhão.

"Só quero saber, se o patrocínio sair do Palmeiras, do que o Palmeiras vai viver?", indagou o Capetinha.

"Do Carnaval". ironizou Neto.

"O Palmeiras não depende do patrocinador", repetiu Velloso.

"Ninguém depende de ninguém. Quero ver, se acontecer, formar o time que formou. Quero ver, sem patrocinador, formar o time que formou", continuou o ex-atacante.

"Vou dar só a minha opinião: Se a Crefisa sair, cai para a terceira", soltou o apresentador.

"É a minha opinião também. Isso que estou querendo colocar para ele. Se a Crefisa deixar de investir no Palmeiras, o Palmeiras terá dificuldade", completou Edílson.

Sem chegar a um acordo, a dupla manteve o debate até o intervalo. Na volta, com os ânimos mais calmos, a atração seguiu normalmente.

Esporte