Topo

Campeã olímpica Rafaela Silva é flagrada em exame antidoping

20/09/2019 17h16

Rio de Janeiro, 20 Set 2019 (AFP) - A campeã olímpica e mundial de judô Rafael Silva foi flagrada em exame antidoping por uso de fenoterol durante os Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, em agosto, mas garantiu ser inocente.

O exame, realizado no mesmo dia em que ganhou o ouro no Pan, em 9 de agosto, deu "positivo para a substância fenoterol", que tem efeito broncodilatador e é habitualmente usado para tratar doenças respiratórias, explicou a própria judoca em entrevista coletiva no Rio de Janeiro nesta sexta-feira.

""Não faço uso dessa substância, não tenho asma, não tenho nada, nem tenho autorização para usar essa substância", se defendeu a atleta de 27 anos, que acredita ter se contaminado pelo contato com a filha asmática de uma amiga.

"A única pessoa que fez uso dessa substância é a filha de uma amiga minha que treina no Instituto Reação (no Rio de Janeiro). Eu tenho essa mania de dar o nariz para o neném chupar. Pode ter sido uma das maneiras" de contaminação, explicou.

Presente durante a coletiva de imprensa, o advogado Bichara Neto informou que Rafaela não está suspensa das próximas competições.

"Tivemos uma reunião no âmbito dos Jogos Pan-Americanos. A Rafaela não está suspensa preventivamente. Vamos sustentar que ela não deve ser (suspensa), porque ela tem uma versão que mostra que ela não usou a substância para obter vantagem indevida", alegou o advogado.

Rafaela Silva foi campeã mundial em 2013 e campeã olímpica nos Jogos do Rio-2016. Atualmente é a 4ª judoca do ranking da categoria até 57 kg.

Em 29 de agosto, dois dias depois de ganhar a medalha de bronze no Mundial de Judô de Tóquio, Rafaela foi submetida a outro exame, que deu negativo.

"Nenhum atleta se prepara para um momento como esse. Estou aqui para dar a minha cara a tapa. Fiz os testes, estou limpa. É continuar treinando, competindo e provar minha inocência", concluiu a judoca.

mel/jm/am

Mais Esporte