Topo

Campello muda perfil e assume rédeas em decisões polêmicas no Vasco

Rafael Ribeiro / Vasco.com.br
Presidente do Vasco, Alexandre Campello segura troféu de campeão da Taça Guanabara Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco.com.br
do UOL

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-02-19T04:00:00

19/02/2019 04h00

Alexandre Campello chegou ao poder no Vasco após uma polêmica articulação política nos bastidores do clube. Foi cedendo a algumas ponderações do ex-presidente Eurico Miranda que também conseguiu ganhar fôlego no conturbado ambiente do Conselho Deliberativo. Agora, mais acostumado ao cargo, tem tomado frente e assumido as rédeas de assuntos polêmicos do Cruzmaltino, como aconteceu no episódio envolvendo a briga com o Fluminense pelo setor sul do Maracanã e também na homenagem às vítimas da tragédia no Flamengo, quando deu o crivo para o time entrar em campo com uma bandeira do rival na camisa.

A postura, como já era de se imaginar, encontrou eco no universo vascaíno. Nos dois casos, a maioria aprovou as escolhas feitas pelo dirigente, mas quem não gostou, promete ficar no encalço do mandatário. Caso, por exemplo, dos 102 conselheiros que assinaram uma carta de repúdio à referência ao rival no uniforme.

Vasco vence o Flu e é campeão da Taça GB

Gols UOL Esporte

Segundo o documento, tal decisão teria ferido o estatuto do clube. Avaliação esta que já havia sido feita pelo presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro, ferrenho opositor de Campello. O tema será colocado em pauta na próxima reunião do órgão.

Campello acredita em "união" após briga por lado

Em contrapartida, Alexandre Campello acredita que o polêmico episódio da briga pelo setor sul do Maracanã serviu para unir o conturbado ambiente político do Vasco. Segundo o dirigente, integrantes da oposição oferecem apoio à sua decisão:

"O Vasco trabalhou para que o torcedor fosse privilegiado, pudesse estar presente. Obviamente sem esquecer um direito que é do Vasco, que foi do Vasco durante 63 anos, e foi de certa forma usurpado durante alguns anos. O Vasco sempre foi assim nos momentos difíceis, os verdadeiros vascaínos se unem em torno do que é melhor para o clube. Lutamos muito para que o jogo pudesse ser realizado, e da forma como nós, mandantes, tínhamos programado. E nesse momento, alguns da oposição se uniram e ajudaram muito". 

Irá ressarcir torcedores e avalia pagamento de multa

Marcelo de Jesus/Raw Image/Estadão Conteúdo
Família vascaína tenta se proteger em meio a confusão no Maracanã Imagem: Marcelo de Jesus/Raw Image/Estadão Conteúdo

A polêmica gerou consequências que ainda não tiveram desfechos. No caso dos torcedores que compraram ingressos e desistiram de ir para o Maracanã, Campello já decidiu que irá oferecer um serviço de ressarcimento dos valores.

Sobre a multa de R$ 500 mil estipulada em decisão judicial caso o Vasco autorizasse a entrada de público no estádio, o presidente ainda avalia em conjunto com a diretoria se irá pagá-la, pois as circunstâncias em que os portões foram abertos geraram interpretações diversas.

"Isso é uma coisa que a gente vai entender como vai evoluir. O juiz do Jecrim havia desconsiderado a nossa posição, não só nossa, mas de autoridades. Entenderam que era mais seguro ter a presença da torcida. Só depois da partida iniciada aconteceu o que a gente previa, com gente chorando, mulheres e crianças envolvidas... Tentei mostrar ao juiz que aquilo que estávamos alertando estava acontecendo, e logo após minha saída do Jecrim, acabaram liberando", declarou Campello.

Ergueu o troféu

Campello ergue o troféu da Taça Guanabara

Gols UOL Esporte

Outro momento em que os holofotes acabaram se voltando para Alexandre Campello foi durante a cerimônia do título da Taça Guanabara, quando o dirigente ergueu o troféu de campeão antes mesmo do capitão Leandro Castan.

Após fugir do rebaixamento no Campeonato Brasileiro na última rodada, Campello acredita que 2019 será um ano bom para o Vasco:

"Acho que o torcedor vascaíno percebeu essa mudança, não tivemos oportunidade de fazer o planejamento que desejávamos em 2018. Para 2019, fizemos um debate bastante interessante já pensando no planejamento, já tínhamos uma espinha dorsal para ser o ponto de partida, e através de uma avaliação fomos atrás dos reforços e começamos o ano no qual o Alberto, que pegou o bonde andando, não tinha tempo de treinar o time, mas conseguiu livrar o Vasco do rebaixamento. O time já mostrou uma grande evolução, acho que qualquer um pode observar, especialmente no setor defensivo. Este ano a coisa está diferente. O torcedor pode sim esperar um bom desempenho do time, um bom 2019". 

Mais Esporte