PUBLICIDADE
Topo

Time suíço demite nove jogadores após se recusarem a receber corte salarial

FC Sion - Reprodução
FC Sion Imagem: Reprodução
do UOL

Do UOL, em São Paulo

27/03/2020 19h08

O time suíço FC Sion demitiu nove jogadores do elenco principal após se recusarem a receber um corte salarial devido à pandemia do novo coronavírus, que paralisou os campeonatos esportivos em todo o mundo.

O clube declarou à Reuters que a demissão ocorreu depois que os jogadores se recusaram a trabalhar meio período, de acordo com as diretrizes do governo.

"Não faz sentido manter jogadores que não querem se esforçar quando todos os demais se esforçam. Eu disse a eles que seu salário [reduzido] é praticamente o salário de duas ou três enfermeiras que trabalham duro para salvar vidas hoje", disse o presidente do clube, Christian Constantin.

Já o presidente da União dos Jogadores Suíços (SAFP), Lucien Valloni, definiu as demissões como desrespeitosas.

"Não é aceitável se comportar assim. Se surgir uma crise, você deve cuidar de seus funcionários e não colocar uma arma na cabeça deles e dizer a eles que eles têm 24 horas para decidir sobre um [salário] de redução ou não e, em seguida, se eles recusarem - o que é eles estão demitidos. Isso é realmente ultrajante", disse à Reuters.

Valloni também disse considerar prematuro os cortes salariais e ressaltou que os jogadores ainda estavam trabalhando.

"Acho que foi um sinal ruim, um sinal errado e não um sinal de solidariedade. Eles têm programas de treinamento individuais, então trabalham em casa, mas ainda estão trabalhando, então por que não deveriam ser pagos?", acrescentou.

Esporte