PUBLICIDADE
Topo

Aliviados pela vaga na Libertadores, jogadores defendem Diniz e Raí no SPFC

do UOL

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 04h00

Quando o São Paulo foi contratar um substituto para Cuca, Fernando Diniz recebeu o aval dos líderes da equipe. Após muita oscilação no Brasileiro, pressão da torcida e a conquista da vaga para a fase de grupos da Copa Libertadores, os jogadores continuam do lado do treinador, que não tem prazo de contrato com o Tricolor paulista e pode perder o emprego. Quem também teve o apoio do elenco depois da vitória por 2 a 1 sobre o Internacional foi o executivo de futebol do clube, Raí, que está ameaçado no cargo e corre o risco de ser trocado por um conselheiro.

"Não sei o que vai acontecer. É algo pessoal do Raí, mas todo o time e todo o clube quer que ele continue. Que esteja conosco. É uma figura muito importante para nós, gostamos muito dele. Estou muito agradecido a ele por ter me contratado. Para mim é um orgulho que ele tenha pensado em mim para estar nesse time. Tomara que o Raí possa estar conosco, porque é o que todos nós queremos", disse o espanhol Juanfran, sobre o dirigente.

"Com certeza [quero que Diniz fique], falo isso de coração. É um cara que dá a vida pelo clube, pelos jogadores, pelos funcionários. Vocês não veem ali dentro o que esse cara faz. É algo que nunca vi igual. Eu tenho de enaltecer o trabalho que o Diniz faz. Acho que nunca treinei tanto na minha vida. A gente trabalha para consolidar. Ficamos no CT até 21h, 22h trabalhando", afirmou Vítor Bueno, sobre o treinador.

"Acho que quando o treinador tem pouco tempo de trabalho, qualquer que seja e não venha o resultado, aqui no Brasil gera essa questão de mudança, a gente sabe que na Europa os treinadores têm muito tempo para trabalhar. Eu acho que é só aqui que acontece isso, não sei se é injustiça, se não é, mas o que eu posso declarar é que nós jogadores estamos muito felizes com ele", disse Pablo, que já havia trabalhado com Diniz no Athletico-PR e foi um dos atletas a indicá-lo ao cargo.

"O Diniz tem muito mérito no que aconteceu, porque ele tem se doado ao máximo para todos nós, e o time tem jogado com ele nessa ideia. Acredito que no próximo ano, com uma boa pré-temporada, bastante tempo para treinar, tem tudo para ser um ano melhor que 2019", completou o goleiro Tiago Volpi.

Ainda que o São Paulo tenha fugido ao seu padrão de 2019 na vitória contra o Internacional, com um futebol bem mais vibrante para assegurar sua meta secundária —antes da Libertadores, o time sonhava, mesmo, era com título—, não é que os torcedores tenham saído do Morumbi com a sensação de que tudo estava resolvido. Aliás, não passou despercebido o detalhe de que, nessa partida especificamente, Diniz estava vendo das tribunas, suspenso. Seu auxiliar, o experiente Márcio Araújo, dava as ordens em campo.

A pressão sobre os 'chefes' do futebol ainda é forte, especialmente no caso do técnico.

Noite inspirada

Ainda assim, foi uma das raras vezes neste ano em que a torcida do São Paulo pôde sorrir no Morumbi. A equipe, que oscilou de rendimento durante toda a temporada, conquistou a vaga de na fase de grupos da Libertadores ao derrotar o Internacional. No confronto, o time mostrou o talento dos jovens, como Antony— autor do primeiro gol— e Igor Gomes, que deu a assistência. Vítor Bueno também teve uma atuação convincente. No fim, o Tricolor até levou um certo sufoco, mas soube administrar o placar.

"Era um confronto direto, ou nós ou eles. Sabíamos que seria uma final e tratamos esse jogo como uma. Foi uma bela partida. Mas o mérito da vitória é muito grande pelo foco que a gente entrou na partida, pelo que todo mudo correu, estamos todos de parabéns por essa classificação, que veio para coroar também o belo trabalho que a torcida fez", analisou Vítor Bueno.

Ah, se pelo menos o time tivesse repetido mais vezes esse tipo de atuação...

Folga

O São Paulo só retoma a rotina de trabalho amanhã, no CT da Barra Funda. O elenco ganhou um dia de descanso após o triunfo sobre o Internacional. No domingo, a equipe fecha a sua participação no Brasileirão, fora de casa, contra o CSA.

Suspenso para a última rodada

Bruno Alves recebeu o terceiro cartão amarelo e vai cumprir suspensão automática no duelo deste fim de semana.

Opinião dos blogueiros

Juca Kfouri

Exigir bom futebol do São Paulo em sua penúltima partida na temporada seria demais para quem pouco mostrou durante o ano inteiro. Mas jogar com o coração, sim. E o Tricolor enfrentou o Inter como se fosse sua primeira participação na Libertadores de 2020.

Menon

A vaga está garantida. São pelo menos seis jogos, três deles em casa, com bom público e dinheiro. E sem o drama dos jogos preliminares, como o Talleres deste ano.

Esporte