Topo

Palmeiras lembra de Felipe Melo e dará tempo para resolver novela Borja

Borja treina na Academia de Futebol e tem contrato até 2021 com o Palmeiras - Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Borja treina na Academia de Futebol e tem contrato até 2021 com o Palmeiras Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras
do UOL

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

13/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O Palmeiras vai dar tempo para resolver a novela com Borja
  • O primeiro passo dado pelo treinador foi de dar chance ao colombiano já no sábado, contra o Corinthians
  • O discurso de que "no futebol tudo muda rápido" é baseado com uma experiência recente com Felipe Melo

O Palmeiras vai dar tempo para resolver a novela com Borja. Depois de o atacante reclamar publicamente de Mano Menezes, a postura da diretoria foi de tentar aparar as arestas o mais rápido possível, sem apressar qualquer decisão sobre o futuro do atleta de 26 anos, que tem contrato até 2021 e custou mais de R$ 50 milhões.

O primeiro passo dado pelo treinador foi de dar chance ao colombiano já no sábado, contra o Corinthians, dias depois da entrevista dele à Rádio Blu quando disse que "doeu na alma" ver o pensamento de seu técnico sobre sua trajetória. Antes, o empresário já havia rebatido Mano com palavras fortes.

Na coletiva de imprensa após o dérbi, o treinador declarou que a vida seguiria normal e que Borja seria escalado sempre que necessário. O retorno de Luiz Adriano, no entanto, é mais um obstáculo para que isso aconteça.

O discurso de que "no futebol tudo muda rápido" é baseado com uma experiência recente de atrito entre jogador e treinador. Felipe Melo e Cuca foram para o embate público em 2017, e o jogador precisou até treinar separado do elenco. Depois de algumas semanas, a paz foi reestabelecida e o volante até renovou seu vínculo.

Apesar do discurso, a diretoria Alviverde tem a intenção de vender Borja. O principal obstáculo é encontrar uma proposta que corresponda com o investimento da contratação mais cara da história do clube brasileiro. Por conta disso, a China surge como o principal mercado.

Ele já recebeu sondagens dos asiáticos, mas recusou os projetos mesmo com aumento de salário. A falta de sequência dentro de campo, no entanto, já faz o atacante reconsiderar caso um novo interessado apareça.

Além do colombiano, é provável que Deyverson seja oferecido a outros clubes. O atacante tem encarado a sequência de jogos como titular no lugar de Luiz Adriano como uma oportunidade para provar que ainda merece ficar, mas a avaliação é que o melhor caminho é a negociação para também reaver o investimento que chegou perto dos R$ 20 milhões.

O atacante já teve uma proposta considerada excelente pelo Alviverde, mas recusou. Na ocasião, ele também teria aumento de salário para jogar no Shenzhen FC, que topou pagar R$ 50 milhões ao clube paulista. Sua vontade de seguir no Brasil, no entanto, vetou o negócio.

Esporte