Topo

São Paulo marca no fim, bate Botafogo e entra no G4 do Brasileirão

do UOL

Do UOL, em São Paulo

21/09/2019 12h55

Resumo da notícia

  • O São Paulo foi até o Rio de Janeiro e venceu o Botafogo por 2 a 1
  • Hernanes abriu o placar, João Paulo empatou e Pablo definiu para os paulistas
  • O gol da vitória veio nos acréscimos e rendeu elogios de Cuca

Neste sábado (21), Botafogo e São Paulo se enfrentaram no estádio Nilton Santos, popularmente conhecido como Engenhão, e abriram a 20° rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. Em um jogo bastante equilibrado, o tricolor paulista conseguiu a vitória nos minutos finais, com o atacante Pablo, e garantiu os três pontos, algo que não acontecia há algumas rodadas para o time comandado pelo técnico Cuca.

Com o triunfo, o São Paulo entra no G4 do Campeonato Brasileiro, ultrapassando o Internacional, e quebra uma sequência negativa de resultados do fim do primeiro turno. Já o Botafogo permanece na oitava posição e precisa torcer para não descer mais na tabela de classificação.

Na próxima rodada, a equipe do Botafogo encara o Bahia fora de casa, sendo uma partida importante para o clube carioca pois seu próximo adversário também briga por uma vaga no G6 do torneio nacional. Já o tricolor paulista volta para casa e recebe o Goiás, que não vive boa fase e tenta somar pontos para evitar um contato maior com a zona de rebaixamento.

QUEM FOI BEM: HERNANES

O experiente meia do São Paulo mudou o jogo quando mostrou talento e frieza para abrir o placar na reta final do primeiro tempo. Além disso, Hernanes era quem ditava o ritmo do jogo e quem colocava seus companheiros em situação favorável para finalizar, como foi com Pablo, que cabeceou na trave após cobrança de escanteio do camisa 15 do tricolor.

QUEM FOI MAL: LUIZ FERNANDO

O meia do Botafogo é um dos grandes nomes do elenco botafoguense, porém não teve uma boa atuação na partida deste sábado. Sem inspiração na criação de jogadas e muito marcado por Tchê Tchê e Hernanes, o jogador ainda levou cartão amarelo por simulação e ficará de fora do confronto diante do Bahia, que acontecerá na próxima quarta-feira.

ATUAÇÃO DO BOTAFOGO

Mesmo jogando em casa e diante da sua torcida, o time comandado pelo técnico Eduardo Barroca não mudou a postura defensiva que teve ao longo do primeiro turno e permaneceu assim por boa parte do duelo diante do São Paulo. A estratégia travou o jogo e o empate saiu graças ao talento do meia João Paulo, um dos destaques do elenco carioca, porém uma falha no fim mudou o panorama para os donos da casa.

ATUAÇÃO DO SÃO PAULO

Precisando mudar a sequência negativa de resultados, o tricolor paulista teve o controle do jogo desde o início, com posse de bola e arremates de fora da área, porém perdeu a chance de ir para os vestiários com a vantagem após a defesa errar e permitir o gol de empate do Botafogo aos 45 minutos da etapa inicial. O gol da vitória veio após a insistência de Pablo, nos acréscimos, que conseguiu estufar as redes após ficar livre na entrada da pequena área.

HISTÓRIA DO JOGO

Apesar de estar jogando fora de casa, o São Paulo foi quem tomou o controle do jogo nos minutos iniciais e "povou" o campo de defesa do Botafogo com a chegada constante de Reinaldo e Juanfran. A equipe paulista tinha como estratégia ter a posse de bola no meio campo e finalizar de longe, principalmente com Daniel Alves e Pablo, os mais acionados pelos jogadores do sistema defensivo.

Já o Botafogo não se incomodava com a atitude do adversário e se postava na defesa, esperando um erro no meio campo para partir em contra-ataque, estratégia esta utilizada pelo clube carioca em boa parte das partidas nesta edição do Campeonato Brasileiro.

Até os 25 minutos de jogo, as duas equipes tiveram uma chance clara - primeiro com o São Paulo, aos 11 minutos, quando Reinaldo chutou forte e Gatito fez grande defesa; depois o Botafogo, aos 21 minutos, quando Tiago Volpi evitou o gol de Gustavo Bochecha, que arrematou perto da pequena área.

O jogo mudou aos 36 minutos, quando o tricolor paulista abriu o placar em grande jogada de Hernanes. Tudo começou pelo lado esquerdo, em que Reinaldo passou para Toró, o jovem levantou a cabeça e tocou para o experiente meia do São Paulo, que, mesmo sem muito ângulo, conseguiu cortar para o lado esquerdo e chutar cruzado, sem qualquer chance para o goleiro Gatito.

Após a abertura do placar, os donos da casa mudaram de postura e empataram o confronto quando o árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima estava próxima de apitar o fim do primeiro tempo. Depois de passe de Gustavo Bochecha, João Paulo driblou o marcador e chutou com categoria, no lado esquerdo de Tiago Volpi, para deixar tudo igual antes dos times irem para os vestiários.

Na segunda etapa, os dois times voltaram um pouco diferentes, com o Botafogo buscando um pouco mais a bola enquanto o São Paulo não tinha mais o mesmo ímpeto do primeiro tempo. Os dois técnicos fizeram alterações para dar mais velocidade ao meio-campo, algo que não aconteceu durante o primeiro tempo.

Quando tudo parecia que o jogo iria terminar empatado, o São Paulo conseguiu marcar o segundo gol graças a Pablo, que aproveitou a bola espirrada na pequena área para voltar a estufar as redes, algo que não acontecia desde o clássico diante do Palmeiras.

TORCIDA

Apesar do estádio Nilton Santos estar longe de estar lotado, a torcida do Botafogo cantou boa parte do jogo e ganhou ainda mais energia após o gol de empate do João Paulo, nos minutos finais do primeiro tempo.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 2 SÃO PAULO

Campeonato Brasileiro - 20° Rodada
Local:
Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Auxiliares: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Leirson Peng Martins (RS)
VAR: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Cartões Amarelos: Cícero, Fernando e Luiz Fernando (Botafogo); Hernanes (São Paulo)
Público e Renda: 18.471 presentes e R$ 414.516
Gols: Hernanes, aos 36 minutos e João Paulo, aos 45 minutos do primeiro tempo; Pablo aos 46 do segundo tempo

Botafogo: Gatito Fernández; Marcelo, Benevenuto, Gabriel e Gilson; Gustavo Bochecha (Leonardo Valencia), Cícero, João Paulo, Marcinho e Luiz Fernando (Alan Santos); Victor Rangel (Rodrigo Pimpão). Técnico: Eduardo Barroca

São Paulo: Tiago Volpi; Juanfran, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan (Igor Gomes), Tchê Tchê, Hernanes (Everton) e Daniel Alves; Pablo e Toró (Antony). Técnico: Cuca

Mais Esporte