Topo

Facekini? Máscara "curiosa" de natação dos anos 20 viraliza

Mulheres usam máscara de natação criada na China  - REUTERS/Stringer
Mulheres usam máscara de natação criada na China Imagem: REUTERS/Stringer
do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/07/2019 15h40

Pode parecer exótica? Sim. Pode ser assustadora? Também. Mas o fato é um só: a "Facekini" viralizou. A máscara virou um dos itens mais procurados no Google nos últimos dias. Uma das possíveis razões para a alta busca é o forte verão chinês, que vai até meados de setembro.

A marca foi criada em 2004, na cidade litorânea de Qingdao, a máscara tem como objetivo proteger nadadores, principalmente mulheres, dos raios ultravioletas e águas-vivas. Ela também passou a ser utilizada por atletas chineses. A vestimenta é inspirada na década de 20, quando apareceram os primeiros registros de banhistas utilizando o item.

Quem inventou a máscara foi a ex-contadora Zhang Shifan. Em entrevista à Reuters, ela reconheceu que jamais pensou na popularidade que conseguiria e que jamais pensou em assustar alguém com o modelo.

"Antes eu realmente queria fazer tudo que podia para evitar assustar as pessoas", afirmou.

Só que, com o passar do tempo, o objeto também virou uma questão de estilo. Hoje, a máscara é vendida em diversas lojas e nos mais variados modelos. Tem a tradicional preta, cheia de corações, camuflada e até mesmo com bandeiras dos Estados Unidos.

O primeiro "boom" atual da "Facekini" aconteceu em 2012, quando banhistas chineses passaram a usar nas praias locais. Hoje, a máscara é vista com total naturalidade na China.

Os valores para comprar a vestimenta variam entre algo em torno de R$ 67 e R$ 75.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Mais Esporte