Topo

Cuca diz que SP caiu de produção e cita "raiva enorme" por levar gol cedo

do UOL

Arthur Sandes e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

26/05/2019 21h56

O técnico do São Paulo, Cuca, lamentou bastante o gol sofrido pela equipe logo aos seis minutos do clássico contra o Corinthians, hoje, em Itaquera, que definiu a derrota tricolor por 1 a 0 pelo Campeonato Brasileiro. O treinador admitiu que o time do Morumbi caiu de produção nas últimas partidas, mas disse que o momento é de ter calma e não de procurar culpados.

"O torcedor não tem ideia de como trabalhei essa semana, desde quinta-feira reunindo, ponto todos dentro de uma sala, mostrando a importância, o fardo que a gente leva de quatro, cinco anos sem vencer (o Corinthians como visitante). E que agora era hora de vencer. E vir aqui e tomar um gol no começo do jogo é muito difícil, dá uma raiva enorme. Mas tem que saber administrar essa raiva, e de alguma forma tirar proveito para o próximo jogo. É o que podemos fazer", disse.

"Chegamos algumas vezes com cruzamentos muito bons, faltando a conclusão. Não se trata de ter jogado mal, se trata de ter caído num primeiro gol, num erro nosso, e o jogo ficar a caráter do Corinthians. Tentado foi durante todo o jogo. Se a bola do Helinho entra, você busca a virada. Mas não aconteceu. O Corinthians se fecha como poucas equipes. Acho que o Corinthians não fez uma grande partida. Fez o gol e se fechou para jogar no contra-ataque, coisa que eles fazem muito bem", continuou o treinador.

Cuca avaliou ainda que a queda do São Paulo vem das duas últimas partidas. O Tricolor está há três jogos sem fazer um gol e volta a campo na próxima quarta-feira (29) para tentar reverter a derrota em casa sofrida para o Bahia no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

"Deu uma caída nesses dois últimos jogos e temos que recuperar o quanto antes. O time sente, por ser uma equipe jovem, é natural. Vai render cada vez mais, à medida em que tiver conhecimento maior um do outro. É a realidade. A gente sabe o que falta, vamos atrás disso. Mas não adianta pôr fogo em Roma, ficar culpando todo mundo. O maior culpado é quem escala. Prefiro que eu receba as críticas do que o jogador, que vou precisar dele na quarta-feira, no domingo. Caímos uma posição, vamos buscar ganhar em casa e recuperar posições", concluiu.

Mais Esporte