PUBLICIDADE
Topo

Negra Li apoia protestos e lembra silêncio: 'calei para me sentir abraçada'

Cantora e atriz disse que já desejou ser branca para ser aceita - Marcelo Martins
Cantora e atriz disse que já desejou ser branca para ser aceita Imagem: Marcelo Martins
do UOL

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 14h08

A cantora e atriz Negra Li exaltou a importância dos protestos raciais que estão ocorrendo há mais de uma semana nos EUA e se estenderam para outros países.

"Muito tempo eu me calei para fazer parte, para me sentir abraçada", disse a cantora em entrevista à CNN Brasil, lembrando suas participações na televisão. "Tudo aquilo que eu vejo na TV, as pessoas sendo, acontecendo, eu queria ser também. O que eu vou fazer para permanecer? Eu sorria, eu me calava".

Os protestos estão sendo feitos para contestar o assassinato do segurança negro George Floyd, asfixiado por um policial branco na cidade americana de Minneapolis.

Ela lembrou que ainda tem certo receio em levantar questões raciais, como tem feito mais ativamente nos últimos anos. "Ainda tenho um resquício de medo, de linchamento virtual, porque ainda esperam que a gente seja professor de história, inteligente ao máximo, saiba falar, e têm pessoas negras que não conseguem se expressar direito", afirmou.

Para ela, mesmo em um momento de pandemia por causa do novo coronavírus, os protestos devem ser feitos. "A gente podia estar se unindo para combater um vírus que está matando tanta gente e a gente ainda precisa falar de racismo", disse Negra Li. "Faz muito tempo que a gente não aguenta mais. Hoje precisou chegar nessa quantidade de protestos, mesmo com essa pandemia rolando", avaliou.

Sobre como os protestos tomaram a dimensão atual, com mais de uma semana de manifestações nos Estados Unidos, por exemplo, Negra Li atribui a indignação à possibilidade que a internet dá de expor os abusos de brancos contra negros.

"O que está diferente hoje é que temos a internet para disseminar a informação, a revolta, então está tendo uma união. Lembro que me senti muito sozinha dentro da maior rede de televisão brasileira, e quando a gente se sente sozinha a gente perde a força, a gente se cala", concluiu a cantora.

Negra Li iniciou sua trajetória na música com o grupo de rap paulistano RZO. A partir de 2005, começou uma carreira solo e logo depois, no ano seguinte, estrelou o filme Antônia, que virou seriado na TV Globo. Em 2015, voltou à televisão para participar do quadro Dança dos Famosos dentro do Domingão do Faustão, também pela emissora carioca.

Entretenimento