Topo

Frio de 1 grau nos EUA faz nariz de repórter da GloboNews sangrar ao vivo

Frio faz nariz de repórter da GloboNews sangrar em entrada ao vivo - Reprodução/GloboNews
Frio faz nariz de repórter da GloboNews sangrar em entrada ao vivo Imagem: Reprodução/GloboNews
do UOL

Do UOL, em São Paulo

13/11/2019 15h35

A repórter da GloboNews em Nova York, Candice Carvalho, enfrentou hoje na pele a onda de frio que atinge os Estados Unidos.

Em entrada ao vivo para o programa Estúdioi, a correspondente teve que lidar com um sangramento no nariz por conta da baixa temperatura.

"O vento deixa tudo mais complicado. Os termômetros marcam 1 grau aqui em Nova York. A média das temperaturas nos Estados Unidos nesta semana está 20 graus abaixo da média desta época do ano. Não adianta, não tem casaco que sustente esta temperatura", explicou a repórter, brincando com Maria Beltrão.

Na sequência, ao ser questionada se o presidente Donald Trump tinha comentado algo sobre o aquecimento global, o nariz da repórter começou a sangrar.

"Quando acontece essa mudança drástica de temperatura, as pessoas começam a falar sobre essa questão. Mas segundo os cientistas uma coisa não tem nada a ver com a outra", disse Candice enquanto tentava contornar o frio.

"Olha, pelo amor de Deus, a Candice já perdeu a audição. Está quase sem tato, vamos parar de conversar com ela porque estou morrendo de pena, deixa ela correr para dentro de um prédio", emendou Maria.

A expectativa é que nos próximos dias a temperatura em Nova York suba para até 5 graus celsius.

Entretenimento