PUBLICIDADE
Topo

Jogador, entregador: Lutador "faz tudo" disputa cinturão do Jungle Fight

O lutador William "Colorado" - Reprodução/Facebook
O lutador William "Colorado" Imagem: Reprodução/Facebook

Ag. Fight

17/01/2020 16h33

O dia 31 de janeiro pode coroar uma trajetória repleta de desafios e funções inusitadas do lutador Willian "Colorado". É nesta data que o sergipano disputa o cinturão peso-pena (66 kg) do Jungle Fight, diante de Adriano "Trator". Mas para chegar até o topo do MMA nacional, o atleta tupiniquim se desdobrou em trabalhos como entregador de marmita, vendedor de sorvete e mecânico de motos.

De origem humilde, Willian, ainda jovem, tentou seguir o sonho de quase todo menino do Brasil: se tornar jogador de futebol. No entanto, ao longo de sua trajetória alguns percalços frearam o objetivo do sergipano. E foi neste período que Colorado conheceu o mundo das artes marciais.

"Passei dois anos jogando nas divisões de base do Sergipe, mas, infelizmente, a vida de jogador de futebol depende muito dos outros para ter um bom resultado. Sem falar nos custos muito altos para as viagens que a minha mãe não tinha condições de pagar. Foi quando conheci na escola um rapaz que treinava muay thai. Ele era muito bom e ganhava todas as competições. Fiquei curioso para saber como seria sair na mão com ele (risos). Então falei com a minha mãe para me matricular na academia, mas ela não tinha dinheiro naquele momento e pediu que eu aguardasse mais um pouco. Passei uns dois meses esperando até que ela me matriculou na academia e me passou o seguinte recado: "se apanhar na academia e chegar com o olho roxo vai apanhar em casa também" (risos)", relembrou Willian, antes de falar sobre as funções que já exerceu para correr atrás do sonho de se tornar lutador de MMA.

"Ainda não vivo do MMA, preciso dar muitas aulas de muay thai, jiu-jitsu e MMA para poder sustentar minha família. Já precisei trabalhar em outros serviços antes de começar a dar aulas na academia. Trabalhei entregando marmitas, entregando água, vendendo sorvete, consertando motos e remendando pneu de trator. Nunca fiquei parado, sempre busquei alguma forma de suprir as necessidades de casa. Sou jovem, mas já enfrentei muita coisa, por isso sei da importância de conquistar esse título do Jungle. Esse cinturão pode mudar a minha vida", completou o peso-pena.

Com um cartel de nove vitórias e apenas uma derrota - em sua estreia como profissional -, Colorado esbanja confiança para o duelo diante de 'Trator'. De acordo com o sergipano, Adriano será apenas mais uma vítima a ser adicionada ao seu histórico vitorioso no MMA.

"Será só mais uma cabeça para a minha coleção. Esse garoto nunca saiu do quintal de casa. Só fez lutas escolhidas a dedo, só bateu em galinha morta. Eu já lutei em todo Brasil, e digo para você: não tive trabalho nenhum para trazer essas nove vitórias consecutivas. Já estou começando a ficar entediado. Eu queria poder dizer que seria uma luta de cinco rounds para que o público ficasse animado com a guerra, mas, para ser sincero, eu não consigo dar mais que um round para ele. Será bem divertido tomar doce da mão de criança. Estou empolgado para trazer meu cinturão, que já estava me aguardando há um bom tempo. Não fica legal o rei da selva reinar sem a coroa", declarou o sergipano.

O duelo entre os dois ocorrerá no dia 31 de janeiro, na cidade de Contagem, em Minas Gerais.

Esporte