PUBLICIDADE
Topo

SPFC estuda retorno de Tréllez e Gómez, que têm propostas para deixar clube

do UOL

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

14/12/2019 04h00

O São Paulo dá andamento ao seu planejamento para 2020 no mercado da bola. Em um momento turbulento em suas finanças e com um elenco de qualidade na visão do departamento de futebol, o clube deve reduzir o investimento em reforços. Por isso, uma possibilidade estudada é o retorno de jogadores que estão emprestados para outras equipes. Dois nomes analisados internamente são os do colombiano Santiago Tréllez e do argentino Jonatan Gómez.

A princípio, a dupla se reapresenta junto com o restante do time em janeiro, no CT da Barra Funda. O colombiano estava no Internacional, que não se esforçou para renovar o vínculo —dá para dizer que ele foi um dos jogadores mais criticados pela torcida colorada neste ano. No Morumbi, o atacante é considerado como uma opção para reforçar o sistema ofensivo, que teve performance muito aquém do esperado em 2019. Além disso, com a saída de Raniel para o Santos, o retorno do estrangeiro ganhou força.

O jogador, que tem contrato com o São Paulo até 31 de dezembro de 2021, tem um salário considerado dentro dos padrões do clube (R$ 233 mil na carteira). No Internacional, ele disputou 13 partidas e não chegou a balançar as redes. Durante a temporada, quando Cuca era o treinador, chegou-se até a cogitar o retorno dele ao Morumbi, mas a ideia não andou, e Raniel acabou contratado para o setor.

O colombiano foi contratado pelo São Paulo em 2018, por R$ 6 milhões. Ele defendeu o Tricolor paulista em 39 oportunidades e marcou seis gols. Durante o período de empréstimo, o Internacional ficou responsável por arcar com os vencimentos do atacante. Apesar de não embalar no Colorado, ele recebeu propostas de outros clubes, como de uma equipe do México.

Já Gómez tem acordo com o São Paulo somente até a metade do próximo ano. O argentino foi um dos destaques positivos do CSA nesta temporada, com 26 partidas disputadas e cinco gols anotados. A equipe alagoana demonstrou o desejo de manter o jogador, de 29 anos, no elenco, mas não conseguiu avançar na negociação.

O argentino recebe um salário também dentro da média dos padrões do clube (R$ 150 mil na carteira). Até mesmo pelo bom desempenho em 2019, ele tem ofertas de clubes do México, do Brasil e do Guaraní (do Paraguai e já classificado para a Libertadores). O jogador, então no Santa Fé, da Colômbia, chegou com a indicação de Rogério Ceni em 2017, por 800 mil dólares. Antes de defender o CSA, ele foi emprestado para o Al-Fayha, da Arábia Saudita.

Esporte