Topo

Diretor da agência de antidoping da Rússia confirma manipulação de exames

15/10/2019 15h36

Moscou, 15 out (EFE).- O diretor da agência russa de antidoping (Rusada), Yuri Ganus, afirmou nesta terça-feira que as suspeitas da Agência Mundial Antidoping (Wada) estão confirmadas e que há irregularidades nos exames armazenados pelo Laboratório de Moscou.

"São milhares de manipulações. Tudo isso é muito sério. Nos traíram. É uma espécie de conspiração", garantiu o dirigente, de acordo com informações publicadas pela agência de notícias "Interfax".

De acordo com Ganus, as alterações nas amostras aconteceram pouco antes da entrega de todo o material à Wada, em janeiro deste ano.

"Diziam que era só (Grigori) Rodchenkov e alguém mais. Bobagem. Em jogo, está toda a nossa reputação. Foi desferido um golpe contra toda a Rússia", afirmou o diretor da Rusada, em referência ao ex-chefe do Laboratório de Moscou.

Ganus, inclusive, lembrou que a manipulação vai contra as ordens dadas pelo presidente do país, Vladimir Putin, de que era necessário solucionar os problemas de doping, para permitir que os atletas do atletismo voltassem a competir sob a bandeira russa.

"Acho que isso foi feito para proteger os esportivas que agora ocupam cargos do alto escalação. É a minha suposição. Não posso garantir que seja um fato", disse.

Há uma semana, a Rússia respondeu por carta as acusações da Wada, sobre uma suposta manipulação nos dados do Laboratório de Moscou, em que o ministro dos Esportes, Pavel Kolobkov, assegurava ter esclarecido todos os pontos e que o país havia cumprido com todas as exigências impostas pelos diferentes órgãos internacionais.

A Wada havia iniciado investigação sobre o caso em 23 de setembro, e se as acusações foram confirmadas, de fato, a Rússia pode ficar fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, com atletas competindo após autorização das federações, como aconteceu no Rio de Janeiro, em 2016. EFE

Esporte