Topo

Paraguaia reaparece e quer posar nua para mostrar "nova Larissa Riquelme"

Thiago Fernandes/UOL Esporte
Larissa Riquelme posa para o UOL Esporte em hotel em Belo Horizonte Imagem: Thiago Fernandes/UOL Esporte
do UOL

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-06-19T04:00:00

2019-06-20T00:31:01

19/06/2019 04h00Atualizada em 20/06/2019 00h31

Em tempos onde cada vez mais mulheres lutam para não serem reconhecidas apenas pelo seu corpo, a modelo Larissa Riquelme mantém pensamentos semelhantes aos de 2010, quando ganhou notoriedade internacional.

Ela foi a Belo Horizonte para assistir ao empate do Paraguai contra da Argentina, pela segunda rodada do Grupo B da Copa América 2019, e não esconde: quer causar e posar nua novamente, assim como fez há nove anos, logo após a disputa da Copa do Mundo na África do Sul - onde surgiu com um celular entre os seios nas arquibancadas do Mundial.

"Sim, claro, óbvio [que tenho desejo de aparecer novamente]. Principalmente gostaria de voltar a sentir essa adrenalina e essa emoção, posando para a [revista] Playboy", disse ao receber o UOL Esporte em seu hotel na capital mineira. "[Gostaria de voltar a posar nua], sim, muito. Como uma nova Larissa Riquelme", acrescentou.

Riquelme explica tempo longe dos holofotes

A modelo de 34 anos ficou em evidência durante a disputa da Copa 2010. Ela chegou a se tornar uma das musas da competição, mesmo sem ir à África do Sul. Entretanto, perdeu espaço por um longo período e só reaparece neste momento para assistir à Copa América in loco. A ausência é explicada por Lari, como gosta de ser chamada:

Thiago Fernandes/UOL Esporte
Larissa Riquelme concedeu entrevista ao UOL na noite de ontem Imagem: Thiago Fernandes/UOL Esporte

"Bom, eu apareci no Paraguai em 2006. Logo surgi muito rápido, subi, subi, subi, subi... Voei muito alto em 2010, fui conhecida internacionalmente. Foi assim por cinco, sete anos aproximadamente, foi assim um sucesso. Nos outros anos, foram como... Ah... Eu quis descansar um pouquinho, me guardar um pouquinho, até porque as pessoas queriam me ver sem roupa. Então tinha muita coisa que queria compartilhar um pouco mais com a minha família, com meu namorado [o jogador Jonathan Fabbro], com outras coisas. Seguia trabalhando, mas sem a exposição internacional anterior que vinha tendo de 2010 em diante", comentou.

No país a convite de duas empresas, ela pretende acompanhar o Paraguai até o fim de sua participação na Copa América. Antes da partida contra a Argentina, ela apostou em triunfo de sua seleção.

"O Paraguai ganha. A Argentina é um rival muito difícil, mas eu sei que o Paraguai vem com a garra e a vontade de ganhar a partida, porque vem de um empate contra o Qatar. Nós vamos com tudo. Vai ser um bom jogo. O placar vai ser 2 a 0 ou 3 a 0. Eu acho que é melhor um 3 a 0", declarou.

"Assisto a todos [os jogos] e, agora, quero estar em Salvador, na Bahia, para assistir ao jogo contra a Colômbia. Mas depende do jogo contra a Argentina. Se eu não gostar, não irei", completou.

Palpite para a Copa América e paixão pelo Corinthians

Larissa Riquelme tem também os seus candidatos para vencer a Copa América 2019. A modelo espera que sua seleção chegue ao menos até as semifinais, mas crê que o título ficará entre Brasil e Colômbia.

"Oh, meu Deus. Que pergunta mais difícil. Sonhar não custa. Eu gostaria de voltar a sentir a emoção e a alegria com a minha seleção nas quartas de final ou na semifinal. Eu acho que o Brasil ou a Colômbia ganham", disse, explicando por que aposta nas duas equipes:

"A Colômbia vem mostrando um bom futebol desde que começou. Eles estão muito fortes de energia, muito fortes no futebol. Eles vão tocando, há um elenco muito bom. E já demonstraram no primeiro encontro que tiveram. Creio que eles são um bom rival, um rival que temos muito medo", comentou.

"O Brasil também. Para mim, todos [da seleção brasileira] são muito bons jogadores. Eles são os melhores do mundo nesse esporte tão lindo que é o futebol", acrescentou.

Torcedora declarada do Cerro Porteño, do Paraguai, a modelo não esconde a sua predileção no Brasil. No entanto, fica em cima do muro ao ter que decidir entre Atlético-MG e Cruzeiro na capital mineira.

"Bom, espera aí. Eu sou metade Atlético Mineiro e metade Cruzeiro, porque senão vão ficar com raiva de mim. Eu tenho dois amores aqui em Belo Horizonte, mas eu gosto muito do Sport Club Corinthians", contou, revelando por que é fã do time paulista:

"É porque tive a oportunidade de conhecer as instalações na primeira vez que vim ao Brasil. Tirei fotos, conheci o preparador físico, me contou a história. E, por isso, gostei do Corinthians. É um clube muito grande", concluiu.

Mais Esporte