Topo

Bota casaco, tira casaco no Rio e chilique em campo: a rodada dos regionais

Thiago Ribeiro/AGIF
Leandro Castán levanta o troféu da Taça Guanabara, conquistada pelo Vasco contra o Fluminense Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
do UOL

Do UOL, em São Paulo

2019-02-18T04:00:00

18/02/2019 04h00

A rodada dos campeonatos estaduais pelo Brasil foi marcada por diversos acontecimentos distintos e, na maior parte, bem caóticos. Teve "bota casaco, tira casaco", ao melhor estilo Karate Kid, no Rio de Janeiro, gramados literalmente alagados e um chilique daqueles no Amazonas.

Terror e indefinição no Rio

DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A decisão da Taça Guanabara foi marcada por indefinições e confusão do lado de fora do Maracanã. Assim que o Jecrim (Juizado Especial Criminal) determinou os portões fechados para a partida, a polícia atirou bombas de efeito moral em direção aos torcedores que se aglomeravam nos arredores do Maracanã - alguns tentaram invadir o estádio.

Após muita polêmica e confusão, torcedores de Vasco e Fluminense finalmente puderam entrar no Maracanã para acompanhar a final da Taça Guanabara. Os torcedores entraram no estádio já com a bola rolando, a partir dos 30min do primeiro tempo.

Em campo, o Vasco derrotou o Fluminense por 1 a 0.

"Série C" e "Time de v..." 

Felipe Bastos decidiu provocar o Fluminense após o título vascaíno. Ainda no gramado do Maracanã, o jogador chamou o rival de "Série C" e puxou um coro xingando o time tricolor.

Chilique no Amazonense

Reprodução/Súmula
Imagem: Reprodução/Súmula

O volante Neto Pitbull, do Iranduba, protagonizou momentos de fúria durante jogo do Campeonato Amazonense no último sábado (16). Seu clube vencia o Rio Negro por 1 a 0 em Manaus, quando Pitbull recebeu o segundo cartão amarelo e saiu irritado em direção ao vestiário.

Pitbull destruiu uma lixeira quando passava pela zona mista e depois quebrou um vidro da janela do vestiário e mais duas lixeiras. Ele foi punido pela primeira vez com o cartão amarelo por reclamação e depois por uma falta. Depois da expulsão, o Iranduba ainda sofreu o gol de empate e a partida terminou com o placar de 1 a 1.

É água para todo lado

Não faltou alagamento nos gramados brasileiros. Diversas partidas foram atrasadas ou interrompidas devido às condições climáticas. Bahia, Avaí e Cruzeiro sofreram para jogar ontem.

É NFL?

Reprodução
Imagem: Reprodução

O Palmeiras empatou sem gols com a Ferroviária ontem. Se não teve brilho em campo, fora dele teve quem chamou atenção. Auxiliar de Luiz Felipe Scolari, Paulo Turra foi flagrado com um fone de ouvido gigante. Os torcedores não perdoaram e compararam o objeto com os utilizados pelos auxiliares da NFL, liga de futebol americano. Vale destacar que a Fifa permite a utilização de rádios e até celulares na área técnica para a comunicação entre membros da comissão.

Haja polêmica

Reprodução/Premiere
Imagem: Reprodução/Premiere

A vitória do Corinthians, por 2 a 1, sobre o São Paulo, pelo Campeonato Paulista foi marcada por polêmicas. Ambos os times tiveram muito o que reclamar. Os três gols da partida foram duramente contestados pelos torcedores.

Destaque para o primeiro tento corintiano. Clayson cruzou para Pedrinho, que chutou da entrada da área. Volpi colocou para escanteio. Na batida, Sornoza achou Manoel, que subiu mais alto que seus rivais e conseguiu colocar a bola no fundo das redes. Depois, no replay, a transmissão mostrou que a bola tinha saído bastante antes de Clayson conseguir fazer o cruzamento

Como se não bastasse, os são-paulinos ainda reclamaram de um gol anulado.

Mais Esporte