PUBLICIDADE
Topo
Entretenimento

Entretenimento

Filha de Fafá de Belém detalha abuso que sofreu aos 7 anos de idade

Mariana Belém, filha de Fafá, é atriz, cantora e influenciadora digital - Reprodução/Instagram
Mariana Belém, filha de Fafá, é atriz, cantora e influenciadora digital Imagem: Reprodução/Instagram
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/01/2021 08h35

Mariana Belém, filha da cantora Fafá de Belém, contou recentemente que foi abusada por um homem quando tinha apenas 7 anos de idade. Perto de completar 41 anos, ela detalha desde o abuso até o momento em que correu para a mãe, em entrevista à Quem.

Sem revelar o nome do abusador, Mariana diz que na ocasião a mãe foi trabalhar e ele (o abusador) dispensou os empregados e a convidou ao quarto dele. "Fui, achando que ia ver televisão. E ele começou a passar a mão no meu corpo, enfiou a mão dentro do meu biquíni", relata.

"Botou a mão mesmo", enfatiza. "Não chegou a inserir o dedo na minha vagina. Depois pegou a minha mão e colocou no pênis dele e eu tirei. Ele falou: 'não! Pega e lambe'. E eu disse: 'não, minha mãe não vai gostar disso", relembra a atriz.

"E foi na hora que eu saí voando. Eu nunca esqueci o quarto, a cama, nada. Eu lembro de tudo perfeitamente: da escada que eu desci correndo, da minha mãe abrindo a porta, de tudo."

"Algo me fez correr porque eu achei errado um homem que deveria cuidar de mim estar passando a mão dentro do meu biquíni, colocando a minha mão no pênis dele e pedindo para eu 'dar beijo' naquela parte do corpo dele. Algo fez minha mãe chegar enquanto eu corria dele. Algo ali me salvou de algo pior."

Mariana Belém diz que ainda se lembra do olhar de filhos dos empregados do abusador para ela. Olhar de pânico, relata. "Com certeza todos passaram pelo que passei, de repente até de pior forma. Então aquilo já me deu um alerta de que alguma coisa estava errada."

"Enquanto ele fazia as coisas, eu sabia que estava errado e eu falava: 'minha mãe não vai gostar disso'. Ele falava: 'sua mãe não precisa saber'. Eu corri e, graças a Deus, minha mãe abriu a porta na mesma hora. Não sei o que seria de mim se ela não tivesse aberto a porta, não era para ela chegar naquela hora."

Traumas do abuso

Mariana Belém relata que aos 10 anos foi para uma psicopedagoga. "Não me lembro se cheguei a verbalizar tudo isso, mas depois, ao longo da vida, em todas as terapias que eu fiz (quântica, holística, tradicional), mencionei isso e acredito que fui tratando no decorrer da vida."

A influenciadora digital de 40 anos diz que tinha muita vergonha de falar sobre o abuso com a mãe, Fafá de Belém. "Eu tinha medo do que ela poderia fazer e fui tratando isso dentro de mim. A única coisa que ficou mais complicada para mim e faz pouco tempo que não me afeta mais é quando mexiam comigo."

Na entrevista à Quem, ela diz que o assédio a incomodava de uma maneira violenta. "Acho que esse foi o maior reflexo que tive disso durante muitos anos e só há pouco tempo, uns três anos ou quatro anos, que parou de me atingir dessa forma."

"Quando cheguei na adolescência e comecei a entender o que é sexo e intimidade, passei a entender. Mas só quando eu tinha 24 anos, 17 anos depois do ocorrido, que eu contei para a minha mãe, porque existia uma chance de a gente ir num lugar que esse cara talvez estivesse."

"Ela questionou muito a minha rigidez quanto a essa pessoa e eu resolvi falar. Ela chorou muito e, para mim, foi como se eu tivesse feito um exorcismo porque minha mãe sempre soube de tudo da minha vida, em todos os aspectos."

Educação sobre o assunto para as filhas

Mãe de duas meninas com o ex-marido Cristiano Saab, ela diz que se sente na obrigação de falar sobre esses temas com as filhas. "Tem menos tabu. Eu falo para as meninas, desde que elas são muito pequenas, quem pode limpar as duas no banheiro.

"Mesmo que elas estejam em uma festinha de família, com amigos da família, digo que qualquer pessoa que pegue nelas de alguma forma, elas devem gritar 'mamãe ou papai'. Então elas sabem quem pode e quem não pode levá-las ao banheiro para limpar.

Uma outra coisa que eu e o Cris sempre frisamos é que não existe segredo entre adulto e criança. Qualquer coisa que um adulto fale para elas que é um segredo, elas têm que contar para o pai e a mãe de qualquer forma."

"É assim que a gente cuida e alerta as meninas sempre. A Laura já está com oito anos e eu consigo falar um pouco mais. Mas vou inseri-los de acordo com a idade delas", completa Mariana Belém.

Entretenimento